Buscar
  • J. POVO- MARÍLIA

Família residente na região precisa de R$ 60 mil para trazer corpo do filho morto da Inglaterra


R$ 60 mil. Esse é o valor que uma família de Dracena (190 quilômetros de Marília) precisa para trazer para o Brasil o corpo do filho que morreu em Londres, na Inglaterra. João Rafael Gaspareli tinha 32 anos e morava havia menos de um ano na Inglaterra. Ele saiu da casa dos pais e foi para a Europa, onde trabalhava como entregador. No último fim de semana, Gaspareli foi encontrado morto na pensão onde morava. A polícia de Londres informou que João não tinha sinais de violência pelo corpo e a suspeita é de que ele tenha sofrido um infarto fulminante, mas os parentes aguardam os laudos dos exames para confirmar a causa da morte. Gaspareli era o único filho homem da família. “Nós somos em quatro. Ele [João] é gêmeo com outra irmã, é o único filho homem e o meu pai e minha mãe perderam esse filho e está sendo muito difícil. Difícil sentimentalmente, difícil financeiramente”, lamentou Fabiana Gaspareli, uma das irmãs do entregador. “Eu queria ver ele [João] mais uma vez, nem que for morto, queria ver mais uma vez. Queria fazer o velório e o enterro dele aqui em Dracena para pelo menos a gente visitar o túmulo dele. Meu filho querido, meu filho amado, que foi embora em busca de um sonho e vai voltar para casa em um caixão. Nunca esperava isso, é muito difícil”, disse Aparecida Félix da Silva Gaspareli, mãe de João. R$ 60 mil O valor de R$ 60 mil inclui despesas para o traslado e também as taxas pela permanência do corpo no necrotério de Londres, pois a quantia é cobrada por semana. Ainda não há uma data estimada para que o corpo seja liberado para ser trasladado ao Brasil. A família diz que já entrou em contato com o consulado brasileiro na Inglaterra e também com o governo federal, mas foi informada de que as despesas são de responsabilidade dos parentes. “Eles [consulado e embaixada] ajudam na documentação de como eu devo proceder, onde tenho que ir, como tenho que marcar, que documento eu tenho que levar. Nisso eles dão total apoio, mas não financeiramente. Financeiramente a gente não tem apoio do consulado nem da embaixada. Eu tenho falado com eles diretamente e eles estão me auxiliando em como fazer”, contou Daniela Gaspareli, que é irmã de João e também mora em Londres. Os familiares de Gaspareli já arrecadaram cerca de R$ 20 mil e estão fazendo uma campanha para tentar juntar a quantia necessária para o traslado do corpo. A chave do PIX para doações é 206.463.198-41. Posicionamento do Itamaraty À TV Fronteira, o Palácio do Itamaraty, que representa o Ministério das Relações Exteriores, informou que o Consulado Geral do Brasil, em Londres, acompanha o caso com atenção e que está prestando toda a assistência cabível. O Itamaraty ainda confirmou que não há previsão regulamentar e orçamentária para pagar o traslado com recursos próprios.



64 visualizações0 comentário