Buscar
  • J. POVO- MARÍLIA

GABINETE: "sistemático", Levi Gomes foca na realização de projetos e descarta pretensões políticas


Mesa de Levi Gomes no gabinete: sem papéis acumulados

Colocar em prática e acelerar projetos pontuais de desenvolvimento e integrar as secretarias municipais. Esses são os dois principais focos do novo chefe de gabinete da Prefeitura de Marília, Levi Gomes. Ele assumiu o cargo recentemente, ao deixar a secretaria municipal da Fazenda, onde estava desde o início da primeira gestão do prefeito Daniel Alonso (em 2017).

Aos 65 anos, Levi é aposentado da iniciativa privada, onde atuou por 37 anos no segmento bancário, acupando gerências dos bancos Bradesco, Nossa Caixa e Banco do Brasil (esses dois últimos integrados a partir de 2009).

Foi instrutor de gerentes e conselheiro eleito do Economos (Instituto de Seguridade Social), o 8° maior do Brasil. Recebeu comenda do Ministério da Previdência pelos relevantes serviços prestados neste segmento. Também atuou por 10 anos como diretor do Sindicato dos Bancários de SP/MS. Levi é formado em Economia pela Unimar e em Direito pelo Univem. Possui cursos de especialização pela FGV (Fundação Getúlio Vargas) e mais de 100 cursos de capacitação. "Esses dias queimei uns cinquenta certificados que recebi nesses cursos", comentou o chefe de gabinete.

Armários da sala de Levi também vazios, sem acúmulo de papéis

SISTEMÁTICO

Apontado como sistemático por seu modo de atuação na gestão pública, Levi acrescenta que muitos o consideram "chato, mesmo". E explica: "dou muito valor à palavra, ao compromisso. Se digo que vou fazer uma coisa pra você, faço mesmo. Se marco um compromisso para as oito horas, estou no local as 8 horas. Nem que eu morra, mas cumpro o que falo", afirmou Levi, em entrevista ao JORNAL DO POVO.

Nesse sentido, ele decidiu organizar a agenda de atendimento no gabinete. "Se for marcado um horário para determinada pessoa, ela será atendida aqui no horário combinado. Uma questão respeito e disciplina".

Outra característica pessoal do chefe de gabinete é a desburocratização. "Em cima da minha mesa, dentro dos armários da minha sala não se acumulam papéis. O que tem que ser resolvido, é resolvido dentro dos trâmites necessários. Nada de papel em cima de papel", diz Levi. "Temos que desamarrar", resume.

INTEGRAÇÃO COM, AS SECRETARIAS E A CÂMARA

Levi disse que busca a integração das secretarias com o gabinete. "Trabalhando juntos, com determinação e resolvendo o que tem que ser resolvido", explica. O mesmo deve ocorrer com a Câmara Municipal. "Não vou fazer discriminações entre situação e oposição, esse ou aquele vereador.Relacionamento com profissionalismo e priorizando o que é bom e de acordo com os interesses da comunidade", diz.

LIMPEZA E CAPINAÇÃO

Logo que assumiu a chefia de gabinete da Prefeitura, Levi decidiu cobrar os serviços de capinação e limpeza de vias e logradouros públicos. Ele chamou representantes de uma empresa terceirizada que faz serviços neste setor e determinou uma ação de limpeza e capinação, iniciando por corredores de grande movimento e depois seguindo pelos bairros.

No horário combinado para o início dos trabalhos, lá estava ele acompanhando tudo de perto.

PRETENSÕES POLÍTICAS

Levi garante que não tem pretensões políticas. "Pretendo cumprir as minhas metas e do prefeito Daniel Alonso até o final do mandato. Acredito que faltando cerca de um mês para terminá-lo, eu deixarei o cargo. Não serei candidato a nada, nenhum cargo público. Minha esposa tem o desejo de morar em Camboriú (SC) e com certeza mudaremos pra lá", explica.

PROJETOS

O chefe de gabinete afirma que entre seus principais desafios estão a concretização de projetos que devem marcar o desenvolvimento de Marília. "Alguns eu já vinha alinhando na secretaria da Fazenda, outros estou organizando aqui no gabinete", explica.

Projeto do Parque Tecnológico que será construído próximo ao Distrito de Lácio

PARQUE TECNOLÓGICO

Entre eles está a implantação do Parque Tecnológico (próximo ao Distrito de Lácio). Com aproximadamente 200 mil m², o local deverá receber um investimento em torno de R$ 30 milhões. Para o início das obras, falta a efetivação do convênio com o Governo do Estado e a liberação dos recursos. O Parque já cumpriu as exigências para o credenciamento definitivo.

"É um grande projeto, com espaço de incubadoras e ambiente para formar empreendedores do setor e abrigar muitas empresas nacionais e internacionais de Tecnologia da Informação. Marília já possui grande avanço nesse sentido com trabalho do Univem. Com a implantação do Parque Tecnológico, Marília poderá se transformar em um Vale do Silício (gigante do mundo da tecnologia como Apple, HP, Intel e Google, na Califórnia - EUA)", prevê.

CENTRO ADMINISTRATIVO

Anexo ao Parque Tecnológico, deverá ser construído o Centro Administrativo. Um local que reunirá todos os órgãos municipais, como as secretarias. "Uma questão de agilidade para a população, aceleração dos serviços públicos e sistema dinâmico e inteligente de administração", diz Levi.

A construção desse Centro Administrativo deverá ser iniciada após a conclusão do Parque Tecnológico, que "é o carro chefe de todo esse projeto".

PARQUE TEMÁTICO

O Parque Temático deverá ser implantado próximo à Represa Cascata, na Zona Leste da cidade. O local deverá ter estrutura de lazer e entretenimento. "Marília necessita muito de um espaço desta natureza, como opção de lazer para a comunidade. Aquela região da cidade tem perfil e espaço suficientes para a realização desse projeto", justifica Levi Gomes.

Os investimentos no Parque Temático serão provenientes de recursos próprios do Município.

USINA DE ENERGIA SOLAR E COMPOSTAGEM

Implantação de Usina Fotovoltaica e Usina de Compostagem de Resíduos. A usina solar fotovoltaica funciona com painéis solares que produzem eletricidade, que passa por um inversor solar para transformar a luz do sol em eletricidade e enviá-la ao centro urbano por meio de linhas de transmissão.

Já a Usina de Compostagem visa reaproveitar os resíduos orgânicos, incluindo a sobra dos alimentos, para transformá-los em adubo orgânico, por meio de composteiras. dos adubos gerados pelos resíduos orgânicos

A reciclagem destes resíduos, de volta para o solo, garante que os ciclos naturais das coisas ocorram, reduzindo a demanda por insumos e recuperando os solos, além de também possibilitar a produção de adubos. Reaproveitamento com reciclagem e valor comercial.

ASFALTO, PRAÇAS, POSTOS DE SAÚDE E ESCOLAS

Levi Gomes menciona também os serviços do Programa Asfalto Novo, que iniciará o recapeamento completo de mais 32 ruas e avenidas. O cronograma dos serviços está sendo finalizado.

Os projetos do gabinete também reúnem mais de 110 reformas entre escolas e unidades de saúde e reformas e revitalização de 30 praças, com instalação de playgrounds. "Nos moldes do que foi feito na Praça São Bento, acrescentando playgrounds inclusivos para crianças com necessidades especiais", diz Levi.

O plano de trabalho que ele implantou na secretaria da Fazenda está, agora, diretamente ligado âs ações no gabinete, com noção da capacidade de investimentos econômicos de acordo com os repasses governamentiais e arrecadação dos cofres públicos. "Com planejamento racional e organização as coisas de tornam mais viáveis", explica.

PROGRAMA DE ILUMINAÇÃO DE LED

Levi Gomes lembrou também do programa de implantação de iluminação de LED em Marília. "O projeto segue sendo realizado e não foi necessário financiar nem um centavo. Cerca de 200 mil luminárias de LED já instaladas. Tudo pago com recursos próprios. E, dentro do que estava previsto, ainda vai sobrar dinheiro. Até o final deste ano deveremos ter 100% da cidade iluminada com lâmpadas de LED que, além de trazer mais segurança à população, gera economia aos cofres públicos, já que o consumo de energia das lâmpadas de LED é bem menor em relação às lâmpadas antigas", explica o chefe de gabinete.










187 visualizações0 comentário