top of page
Buscar
  • Foto do escritor J. POVO- MARÍLIA

GOVERNO FEDERAL: Camarinha acompanha a transição e vê pontos positivos


O vice-presidente eleito, Geraldo Alckmin, coloca broche do PSB no paletó do amigo Camarinha, que foi seu líder na Assembleia Legislativa de São Paulo


O ex-prefeito e ex-deputado por cinco mandatos, Abelardo Camarinha, está acompanhando minuciosamente o processo de transição do governo Bolsonaro para o presidente eleito, Lula, e analisa pontos positivos nesse processo, liderado pelo vice-presidente eleito, Geraldo Alckmin.

PONTOS POSITIVOS

Camarinha destaca o fato de Alckmin e sua equipe colocarem no orçamento de 2023 recursos para merenda escolar, Farmácia Popular e aumento acima da inflação para o salário mínimo.

Outro fator positivo apontado por Camarinha é a isenção de Imposto de Renda para quem ganha até R$ 5 mil. "Essas medidas adotadas pela equipe de transição vão trazer um benefício importante para as crianças, especialmente as que estudam e o aumento salarial acima da inflação beneficiará diretamente os trabalhadores que ganham de 1 a 2 salários mínimos, acabando com a injustiça de cobrança de Imposto de Renda para quem ganha proporcionalmente salários menores", afirmou o ex-deputado.

Sobre os recursos para a Farmácia Popular, que vende remédios bem abaixo do preço de mercado e fornece muitos de graça, Camarinha disse que o programa atenderá principalmente idosos que necessitam de medicamentos de uso contínuo e a população pobre do Brasil.

BURACOS NEGROS E ARMADILHAS

O ex-deputado mostra-se indignado pelo fato de um governo ficar quatro anos no poder e fazer uma peça orçamentária sem contemplar a saúde, a educação, a assistência social e o salário mínimo de 37 milhões de trabalhadores e aposentados.

"Graças a Deus a equipe de transição liderada por Alckmin sanou e salvou a população desses buracos negros e armadilhas colocadas no orçamento de 2023", afirmou Camarinha.

VOLTANDO AO ASSUNTO

Ainda esta semana, o ex-deputado voltará a falar sobre esse tema e o que ele considera "um crime", o corte orçamentário de 95% no ensino básico para o orçamento de 2023, "que tem que ser corrigido urgentemente", avaliou.

ECONOMIA E 2023 DIFÍCIL

Na semana da vitória do novo presidente, a Bolsa de Valores subiu 3%, o dólar baixou de R$ 5,40 para R$ 4,03 e as ações da Vale do Rio Doce, que exporta minérios para a China e outros países, valorizaram 10%. "Um claro sinal que novos contratos de grandes valores estão sendo feitos para o ano de 2023. Além disso, a Alemanha, Suécia e Noruega já disponibilizaram R$ 3 bilhões cada um para o Fundo de Preservação da Amazônia. Com tudo isso, entretanto, teremos um 2023 difícil, pelo rombo de R$ 200 a R$ 400 bilhões com benefícios, bolsas e perdões de dívidas com objetivos eleitoreiros para tentar ganhar as eleições de outubro", disse Camarinha.













310 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page