top of page
Buscar
  • Foto do escritor J. POVO- MARÍLIA

Homem flagrado com picape recheada de drogas em pedágio em Marília pega quase 8 anos de cadeia


Um homem flagrado transportando drogas em um veículo foi condenado a 7 anos e 6 meses de reclusão em regime fechado. Ele não poderá recorrer em liberdade. A decisão é do juiz Fabiano da Silva Moreno, da 3ª Vara Criminal do Fórum de Marília.

Consta nos autos que Herculis da Silva de Andrade, de 24 anos, no dia 25 de fevereiro deste ano, por volta das 10h, na Rodovia SP-333, transportava 28 tabletes de cocaína e 23 tabletes de crack em um Fiat Strada, placas de Londrina/PR.

Quando passou pela Praça de Pedágio, foi interceptado por policiais rodoviários em fiscalização de rotina. Ao ser abordado, afirmou que vinha de Londrina e tinha como destino a cidade de Lins, local em que iria para buscar um motor. Por externar insegurança em suas respostas, os policiais decidiram fazer uma vistoria veicular, apurando-se que no interior do tanque de combustíveis, que aparentava ter sido "cortado", havia cocaína e crack.

O acusado disse que estava transportando os entorpecentes para a cidade de Lins e que receberia R$ 3.000,00 pelo "serviço", sem declinar os nomes de outros envolvidos. Também houve a apreensão de R$ 456,00 e um aparelho de telefone celular.

A testemunha Rodolfo Lopes, policial militar rodoviário, em audiência, declarou que estava realizando as abordagens na SP-333, no pedágio, quando visualizaram um veículo Fiat. No momento da abordagem, o réu disse que estava vindo de Londrina-PR para Lins-SP, mas não soube informar em qual local de Lins iria. Na busca pessoal nada foi encontrado com o acusado, mas, na busca veicular, foi encontrado um fundo falso na carroceria do veículo, onde foram localizados vários tabletes de cocaína e crack.

DEFESA

O acusado Herculis em audiência, informou que havia pegado o veículo em Londrina, e não sabia qual quantidade de droga estava no veículo e nem de que natureza. Ainda, narrou que não tinha conhecimento de onde era o compartimento que a droga estava armazenada. Iria levar a droga para Lins/SP e ganharia R$ 3.000,00.

Estava passando por dificuldades financeiras e acreditou que carregar a droga fosse a melhor forma de conseguir dinheiro. Nunca havia feito esse trabalho antes. Morava com a sua esposa e seu filho, e trabalhava de Uber, mas o dinheiro não estava dando para suprir as necessidades financeiras. Respondeu ao Ministério Público que foi processado no Estado do Paraná por tráfico de drogas, mas foi absolvido.



42 visualizações0 comentário
bottom of page