top of page
Buscar
  • Por Adilson de Lucca

Homem que abusou de garota autista em Marília é condenado a 20 anos de cadeia


A Justiça condenou a um homem a 20 anos, um mês e nove dias de prisão, no regime fechado, por estupro de uma adolescente de 15 anos com autismo e ainda filmar e guardar o vídeo do crime. Também foi determinada multa de aproximadamente R$ 1,4 mil.

O indivíduo está preso preventivamente e não poderá recorrer em liberdade. O juiz magistrado ainda determinou que o sentenciado deve continuar separado dos outros presos para garantia da ordem pública e da aplicação penal.

O maníaco, que não teve a identidade revelada, foi preso por estupro de vulnerável em março deste ano, na zona norte de Marília e o indivíduo foi preso em Echaporã, onde tentava embarcar para o Estado do Paraná.

A Polícia Militar foi acionada pela mãe de uma garota de 15 anos, que tem transtorno do espectro autista (ETA), de “grau médio para severo”.

A mulher relatou que mantinha um envolvimento amoroso com o acusado, que reside no estado do Paraná, e passavam alguns dias em Marília, na casa dela.

Dois dias antes da prisão, a menina estava sozinha na residência na companhia do autor. Ao chegar em casa, a mulher encontrou a menina assustada no banheiro e desconfiou.

A mãe acreditou, em um primeiro momento, que o comportamento era decorrente do autismo. No entanto, dois dias depois de ter encontrado a filha assustada, por volta das 18h, a mãe relatou que o namorado saiu para ir ao banco e ela verificou que um dos celulares dele ficou na casa.

No aparelho foram encontrados dois vídeos, com cenas de sexo, em que ela reconheceu a filha e o homem.

A genitora filmou o vídeo com seu próprio celular e ligou para o namorado para questionar porque ele havia abusado da jovem.

De acordo com a mulher, o criminoso negou o fato e, em seguida, ela verificou que ele havia acabado de apagar o vídeo que estava armazenado no Google Fotos, através de um segundo aparelho.

Conforme a mãe da vítima, o autor não retornou para a casa dela e deixou seus pertences no local.

A mulher apresentou aos policiais o celular do namorado que estava em posse dela e como o segundo aparelho do acusado possui a mesma conta Google foi possível identificar que ele estava na Rodoviária de Echaporã.

Uma equipe policial foi até o local e encontrou o homem, que aguardava na plataforma de embarque.

Questionado, o acusado negou o crime e disse que estava indo embora com medo da mãe da garota. A polícia vistoriou o celular que estava com o homem e encontrou na galeria alguns vídeos pornográficos envolvendo crianças e adolescentes.

Ele foi preso e encaminhado até a Central de Polícia Judiciária (CPJ) de Marília. A mãe da vítima entregou para a PM o celular que estava em sua posse e também uma calcinha e blusa que foram reconhecidos como sendo as vestes que a menor usava quando foi abusada.




54 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page