top of page
Buscar
  • Foto do escritor J. POVO- MARÍLIA

Idosa que tentou matar a irmã queimada na zona norte de Marília é solta pela Justiça


Uma idosa que estava presa por ter tentado matar a irmã queimada em uma casa na zona norte de Marília, foi libertada por decisão do Tribunal de Justiça de São Paulo. Geni de Andrade, de 65 anos, estava encarcerada desde setembro de 2021, quando ocorreu o crime, no Parque das Primaveras. A acusada responderá o processo em liberdade.

A liberdade da idosa foi determinada pelos desembargadores Fábio Gouvêa, Nuevo Campos e Rachid Vaz de Almeida. Geni, que cumpria prisão preventiva, deverá cumprir restrições, como não se ausentar da Comarca, não frequentar lugares impróprios (como bares), se apresentar mensalmente em Juízo e fica proibida de manter contato com a irmã e com o vizinho que prestou socorro à vítima.

Um habeas corpus anterior já havia sido negado, em maio de 2022. Agora, sem previsão de data para realização de perícia médica, entenderam os desembargadores existir excesso de prazo.

“Desde o encerramento da instrução, em janeiro do ano passado, aguarda-se, apenas, a realização do incidente de verificação de insanidade mental da paciente para que o feito tenha andamento, sendo que o primeiro ofício solicitando a perícia foi encaminhado ao Instituto de Medicina Social e de Criminologia de São Paulo em 29 de novembro de 2021, não havendo, contudo, registro de qualquer resposta do Instituto”, cita a decisão.

Geni responde por tentativa de homicídio com as qualificadoras de emprego de fogo ou outro meio insidioso ou cruel ou de que possa resultar perigo comum e recurso que dificulte ou torne impossível a defesa da vítima.

ÁLCOOL E FOGO

Na manhã do dia 29 de setembro de 2021,na Rua Teresa Sanches Mora, Geni com emprego de fogo e recurso que dificultou a defesa da vítima, tentou matar a irmã, na época com 59 anos.

A acusada residia em uma edícula nos fundos da casa da vítima. No dia dos fatos, a pensionista arrumou as malas e iniciou incêndio no imóvel que morava. Em ato contínuo, sem que a irmã notasse, entrou na casa da vítima, jogou um litro de álcool sobre o sofá e ateou fogo.

Na sequência, trancou o portão de saída das residências com corrente e cadeado e ainda gritou “agora você tem que ficar aí trancada e morrer queimada”. Em seguida, a acusada fugiu.

Um vizinho, que ouviu os gritos de socorro da vítima, rompeu o cadeado e a libertou.

A Polícia Militar foi acionada e compareceu ao local. A pensionista acabou detida quando tentava pegar um ônibus.



93 visualizações0 comentário

Коментари


bottom of page