top of page
Buscar
  • Foto do escritor J. POVO- MARÍLIA

Justiça condena dois que espancaram jovem, em Garça. Vítima ficou na UTI e perdeu parte da visão


Dois dos cinco homens que espancaram Narciso dos Santos Neto, de 25 anos, no dia 9 de maio de 2022, em Garça, foram condenados por tentativa de homicídio em júri popular realizado nesta quarta-feira (12). Cabe recurso da decisão.

Lucas Eduardo Vitor e Cauan Henrique de Jesus Souza foram sentenciados, respectivamente, a nove anos e quatro meses e oito anos de pena em regime inicial fechado. Eles já estavam presos no Centro de Detenção Provisória (CDP) de Bauru. Ambos foram identificados por câmeras de segurança, que registraram o crime. Outro suspeito foi julgado e absolvido em abril do ano passado. Conforme a defesa, Breno Nunes de Souza tentou impedir que a agressão continuasse quando a vítima caiu no chão. Além deles, um adolescente, que também teria participado das agressões, foi liberado. Na época, a vítima ficou internada na UTI após ser atingida por vários golpes na cabeça. Narciso chegou a ficar 20 dias no Hospital das Clínicas de Marília (SP) e perdeu 20% da visão de um do olho esquerdo, segundo informações de familiares. CASO O crime aconteceu na madrugada do dia 9 de maio de 2021, em uma rua de Garça. Câmeras de segurança flagraram quando o jovem foi agredido por vários homens, levando golpes e chutes na cabeça, mesmo após estar desacordado ao lado da guia da calçada. Segundo a família de Narciso, as agressões começaram depois que a vítima reclamou que os motociclistas estariam fazendo manobras perigosas e empinando. Após as investigações do caso, a Polícia Civil indiciou quatro homens envolvidos na agressão e realizou uma operação no dia 15 de maio de 2021 para prender três deles. No entanto, não foi possível encontrar ninguém, e os três suspeitos passaram a ser considerados foragidos da Justiça. Dois dias depois da operação, dois primos de 19 e 21 anos, que fazem parte do grupo envolvido no espancamento, se entregaram na delegacia e foram presos. No dia seguinte, o terceiro suspeito, de 18 anos, também se apresentou e foi detido. O menor, que é um adolescente de 17 anos, foi apreendido dez dias depois do crime, em Garça, e chegou a ser encaminhado para a Fundação Casa de Marília, mas depois foi liberado. Segundo a Polícia Civil, um quinto homem que aparece nas imagens apenas tentou separar a briga e não agrediu a vítima, por isso, não foi indiciado.




96 visualizações0 comentário

Hozzászólások


bottom of page