Buscar
  • J. POVO- MARÍLIA

Justiça condena ladrões a pagar R$ 100 mil de indenização a família de empresário morto em roubo


O empresário Flávio Vieira foi assassinado no centro de Garça, por ladrões que fugiram em uma motocicleta após o crime


Os assaltantes Filipe Vieira da Silva, 26 anos, e Wilson Novaes Guerra, 38 anos. já condenados pelo envolvimento no roubo e assassinato do comerciante Flávio José Vieira, de 56 anos (dono de uma lotérica), no final da manhã do dia 11 de fevereiro de 2019, no centro de Garça, foram condenados a pagar R$ 50 mil cada um a título de indenização por danos morais à viúva e filhos da vítima.

A sentença é da uíza Renata Lima Ribeiro Raia, do Fórum de Garça e cabe recurso.

Outro assaltante envolvido na ação, Carlos José Carrelas, de 51 anos, já condenado criminalmente e em fase de recurso, escapou, por enquanto da ação civil.

ABALO PSICOLÓGICO

“O latrocínio praticado pelos réus contra o esposo da requerente e pai dos demais acarreta dano moral in re ipsa – presumido sem a necessidade de comprovação – (do próprio fato), pois se trata de ato ilícito que viola diretamente direito de personalidade, havendo presunção de abalo psicológico”, cita a sentença

E complementa: "entendo que o valor deve ser fixado em R$ 50 mil para cada autor, como ‘compensação’ pelo sofrimento advindo do injustificável ato praticado pelos réus. O valor é significativo, pois pondera também a necessidade de dissuadir o ofensor de práticas semelhantes”.


O CASO

O empresário Flávio Vieira, morreu após ser baleado durante um assalto, no centro de Garça.

Ele ia fazer um depósito em uma agência bancária, na esquina das ruas Barão do Rio Branco e Sargento Wilson Abel de Oliveira, quando foi abordado pelo criminoso armado.

Imagens de circuito de segurança mostraram que o empresário tentou resistir em entregar o malote e lutou com o criminoso.

A vítima foi baleada na clavícula e tinha um ferimento na perna. Flávio foi socorrido pelos bombeiros e encaminhado para a UPA de Garça, mas sofreu diversas paradas cardiorrespiratórias e não resistiu aos ferimentos.

Wilson Novaes Guerra, de 37 anos, foi identificado e acusado de atirar em Flávio e foi preso em maio do ano passado, em Osasco. Ele foi identificado por meio de imagens do circuito de segurança, que flagraram o crime.

O outro acusado é Filipe Vieira da Silva, de 25 anos, que também foi preso em maio de 2019, em Guarulhos. Ele estaria pilotando a moto usada na fuga dos criminosos. Wilson e Filipe foram ouvidos pela primeira em audiência em outubro do ano passado.

O terceiro acusado, José Carlos Carrelas, à época com 50 anos, teria levado o atirador até as proximidades do local do crime e depois o resgatado assim que Filipe o levou de moto até a região do lago artificial de Garça. José Carlos Carrelas ficou foragido até ser preso em fevereiro deste ano.

Ainda de acordo com a polícia, Carrelas utilizou um carro que foi apreendido em sua casa, em Itanhaém, no litoral paulista. Ele também era investigado por participação em crime semelhante praticado em Tambaú (SP), onde um dono de lotérica teve um malote roubado com R$ 185 mil.

À época, o hoje falecido delegado Valdir Tramontini, titular da DIG de Marília e que prestou apoio às investigações comandadas pelo delegado Gustavo Pozzer, de Garça, o grupo que atacou o empresário em Garça era suspeito de praticar diversos crimes no estado.



121 visualizações0 comentário