top of page
Buscar
  • Por Adilson de Lucca

Justiça decreta prisão preventiva de homem acusado de violentar cachorra e agredir os filhotes dela


A juíza Renata Lima Ribeiro Raia, da 1ª Vara do Fórum de Garça, converteu a prisão em flagrante de A.F.L. de 44 anos, em prisão preventiva. Ele foi preso pela Polícia Civil em flagrante em ação rápida e eficiente nesta segunda-feira (7), por maus-tratos a animais (veja abaixo).

"Assim, a despeito das razões apresentadas pela Defesa, razão assiste ao Ministério Público, pois as medidas cautelares diversas da prisão são insuficientes para garantir o acautelamento social, impedi-lo de continuar a praticar delitos como o presente", citou a juíza na decisão. A magistrada também apontou outros riscos, inclusive à pessoas, caso o acusado fosse solto.

O diretor da ONG Spaddes de Marília (Proteção Animal), Gabriel Fernando, parabenizou o delegado Adriano Marreiro pela eficiência nas diligências e na prisão do acusado. Enalteceu também a decisão judicial. "Não é fácil esse tipo de trabalho em defesa dos animais e o apoio e o bom trabalho das autoridades, além de fazer justiça contra os atos de crueldade, também inibem outras práticas semelhantes", afirmou.

CRUELDADE

Uma testemunha relatou que o acusado é usuário de drogas, desocupado e ouviu ele dizer que "é hora dele ficar com a cachorra, de mamar na cachorra". Não deixa o animal sair para rua e se alimentar porque diz que a cachorra é dele e "que ele é que tem que fazer sexo com ela pois ela é dele e que ela tem que chupar o pênis dele".

A testemunha relatou ainda ter visto o indiciado pegando a cadela e praticando sexo com ela, inclusive na noite anterior à prisão dele.

Disse que o indiciado também pegou uma barra de isopor de embalar móveis e bateu nos cachorros, inclusive nos filhotes recém nascidos. Chega a agredir a cachorra com socos.

Afirmou ter ouvido gritos da cadela no momento em que é violentada sexualmente além do choro dos filhotes quando são agredidos pelo acusado. Disse que ele já teve outros dois cachorros sem raça definida, de porte pequeno, filhotes ainda e que os teria matado com requintes de crueldade. Ele "quebrou" suas patas traseiras com a própria mão e depois colocou uma "faixa", sendo que a perna dos cachorros necrosou, o que causou a morte deles. O acusado já possui condenação por

PRISÃO

O acusado estava na residência no momento em que a Polícia Civil fez a abordagem. Após diversas denúncias informando que em um imóvel localizado na Rua Santa Eulália, Bairro José Ribeiro, o indivíduo estava abusando sexualmente de sua cadela e agredindo os filhotes que não tem nem dez dias de vida e que as agressões e o abuso teriam sido presenciados por testemunhas, a Polícia Civil fez uma diligência no local, onde constatou a veracidade da denúncia e conseguiu realizar a prisão em flagrante.

A diligência teve o apoio da Vigilância Sanitária e também da ONG Spaddes (Proteção Animal) de Marília, que realiza um excelente trabalho e prestou o apoio para realizar o resgate da cachorrinha e dos filhotes. O diretor da ONG, Gabriel Fernando, acompanhou as diligências e o flagrante.

A cachorrinha e os filhotes estavam em local insalubre, cheio de lixos, entulhos, estavam em situação precária. A cadela está com uma lesão na vagina e com sangramentos. No local também não tinha alimentação para os animais, nem água disponível.

O delegado responsável pela prisão, Dr. Adriano Marreiro, representou pela prisão preventiva do indivíduo, pois ele não merece permanecer solto em liberdade, colocando em risco a sociedade e os outros animais. O médico veterinário da Prefeitura de Garça, que acompanhou a diligência, atestou os maus-tratos. Os animais foram recolhidos e encaminhados para tratamento médico veterinário na ONG Spaddes.








204 visualizações0 comentário

Kommentare


bottom of page