Buscar
  • J. POVO- MARÍLIA

MAC pode acionar CBF por calote de R$ 560 mil na Copa do Brasil


A diretoria do Marília Atlético Clube está pressionando a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) para receber R$ 560 mil, referentes à cota de participação na Copa do Brasil, em março deste ano.

A grande expectativa da inédita participação do Marília na Copa do Brasil começou a ser frustrada após a CBF transferir a partida contra o Criciúma (SC), que deveria ser realizada aqui no Abreuzão, para a cidade de Varginha (MG) e depois para Cariacica (ES).

Ou seja, por conta de restrições estaduais relacionadas à Covid, a delegação do MAC foi obrigada a viajar mais de dois mil quilômetros para realizar um jogo que estava pevisto para acontecer aqui na cidade.

Para complicar ainda mais a situação, 27 membros da delegação contraíram o coronavírus durante as viagens. Em Cariacica, o Marília empatou em 0 a 0 com o Criciúma e foi eliminado da competição, já que o empate favorecia o adversário.

Resumindo: essa maratona deixou prejuízos excedentes de pelo menos R$ 15 mil ao Alvi Celeste, com despesas de viagens, alimentação e hospedagens, além do calote da CBF na cota de participação.

AÇÃO CONTRA A ENTIDADE

O vice-presidente e homem forte do MAC, dr. Alysson Alex de Souza e Silva, estuda mover ação judicial contra a CBF, cobrando os R$ 560 mil e reparação por danos morais e materiais em função das contaminações pela Covid.

PRÊMIO DA FPF

O prêrmio de R$ 150 mil, da Federação Paulista de Futebol (FPF), referente à premiação pela conquista do título de vice-campeão da Copa Paulista em 2020, foi pago e depositado em processo piloto na Justiça do Trabalho. Ou seja, não entroui nenhum centavo desse dinheiro nos cofres do MAC. Aliás, foi esta conquista que garantiu ao Tigrão uma vaga inédita na Copa do Brasil deste ano.













56 visualizações0 comentário