Buscar
  • J. POVO- MARÍLIA

Marília foca esperanças na próxima sexta-feira e em projeto de lei para reabertura do comércio



Reunião do prefeito Daniel Alonso e vereadores com Vinholi, hoje, em São Paulo

Próxima sexta-feira (29). Esta é a expectativa para que Marília possa evoluir da Fase Vermelha para a Laranja, dentro do Plano SP. Isso após reunião do prefeito Daniel Alonso (PSDB), presidente da Câmara, Marcos Rezende (PSD) e outros vereadores com o secretário estadual do Desenvolvimento, Marco Vinholi, em São Paulo.

A cidade foi rebaixada a para a Fase Vermelha na semana passada, com fechamento total do comércio, do Camelódromo, bares, restaurantes, salões de beleza e academias, entre outros estabelecimentos considerados não essenciais. Sé estão autorizados a funcionar supermercados, farmácias, lojas de materiais de construção, lojas de rações, oficinas e postos de combustíveis.

A expectativa de uma possível autorização para reabertura do comércio estava sendo mantida com a reunião de hoje, em São Paulo.

50 NOVOS LEITOS E AVALIAÇÃO DA VIGILÂNCIA SANITÁRIA

Durante o encontro de hoje, Vinholi autorizou a Prefeitura de Marília a firmar convênio com o Hospital da Unimar para utilização de 10 novos leitos de UTI/Covid-19 (que estão prontos há cerca de 20 dias). Com isso, o HBU passaria a ter 30 leitos de UTI/Covid/SUS.

Ontem (25), durante encontro com o deputado Vinícius Camarinha (PSB), Vinholi já havia autorizado a abertura de 10 novos leitos de UTI/Covid/SUS no Hospital das Clínicas de Marília, que passará a contar com 40 leitos desta natureza.

Na semana passada, já havia sido autorizados mais 30 leitos de UTI/Covid/SUS para cidades que integram a região de Marília (51 municípios, todos na Fase Vermelha).

Esses 50 novos leitos de UTI autorizados para Marília e cidades da região, conforme Vinholi, serão analisados e computados pela Vigilância Sanitária do Estado, dentro de seus critérios técnicos, para uma possível reclassificação da cidade na próxima sexta-feira (29).

Entretanto, ao falar em vídeo postado nas redes sociais do prefeito, após o encontro, Vinholi manteve o foco na reclassificação programada apenas para o dia 5 de fevereiro.

"O prefeito coloca o pleito aqui para uma reclassificação o mais breve possível (volta do funcionamento do comércio e serviços não essenciais)...Nossa próxima reclassificação será dia 5 (de fevereiro) com a volta para o dia 8. Uma boa reunião de trabalho aqui em São Paulo", disse Vinholi.

Nesta segunda-feira (25), cabeleireiros e manicures fizeram um protesto em frente a Prefeitura e a Câmara pedindo autorização para reabertura de suas atividades. Rezende, abordado pelos manifestantes, pediu que eles esperassem até hoje à tarde para uma definição, referindo-se à reunião em São Paulo.

PROJETO PARA TORNAR O COMÉRCIO ATIVIDADE ESSENCIAL EM MARÍLIA

O presidente da Câmara de Marília, Marcos Rezende, protocolou um Projeto de Lei na Casa que torna o comércio (incluindo academias, salões de beleza, clubes e outras atividades econômicas), como atividade essencial.

Desta forma, esses estabelecimentos poderiam reabrir, obedecendo naturalmente os critérios sanitários de proteção do coronavírus, como uso de máscaras, álcool em gel e distanciamento social.

O projeto deverá ser votado na sessão ordinária da próxima segunda-feira (1°), a primeira da nova Legislatura. "Com a aprovação do projeto pelos vereadores, encaminharemos o mesmo imediatamente para o prefeito Daniel Alonso, de forma que ele sancione e faça a publicação da lei já no Diário Oficial da terça-feira (2).

DIREITO CONSTITUCIONAL


"Nosso projeto, inédito em nível estadual, é baseado na Constituição Federal, que garante aos cidadãos, entre outros direitos, o trabalho. O trabalho é essencial na vida dos cidadãos", disse Rezende.

"Não dá pra entender os critérios do governador João Doria nas autorizações de funcionamento. Enquanto supermercados, farmácias, lojas e rações e outros permanecem abertos, o restante é obrigado a fechar as portas. Os pequenos e médios comerciantes, os camelôs e outros segmentos comerciais vivem uma fase muito aguda, de crise e não aguentam mais ficar com as portas fechadas", afirmou o presidente do Legislativo, justificando a urgência no trâmite do seu projeto de lei.

Sobre os 50 novos leitos de UTI/Covid/SUS, ele acredita que serão fundamentais para que Marília possa subir para a Fase Laranja do Plano SP na próxima sexta-feira.

"Se o governador for leal, isso vai acontecer", resumiu. Rezende observou que os números do coronavírus, que explodiram nas duas primeiras semanas deste ano, começaram a diminuir. "Evidente que as taxas de ocupações das UTIs também devem ser reduzidas", previu.




135 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo