Buscar
  • J. POVO- MARÍLIA

Mariliense Paulo Maiurino é o novo diretor-geral da Polícia Federal no governo Bolsonaro


O advogado mariliense Paulo Gustavo Maiurino, foi nomeado como novo Diretor da Polícia Federal. Ele foi escolhido para o cargo nesta terça-feira (6) pelo ministro da Justiça, Anderson Torres, ara substituir Rolando Alexandre de Souza, que havia assumido em maio de 2020.

Maiurino começou na Polícia Federal como delegado em 1999. Chefiou a Interpol no Brasil e foi corregedor-geral do Ministério da Justiça. É formado também em gestão em serviço público pela Fundação Getúlio Vargas e filho do coronel Claudeonor Maiurino, que comandou o Batalhão da PM em Marília.

INTEGRAÇÃO COM TOFFOLI

Maiurino tem trânsito no STF, onde foi secretário da Segurança na gestão do também mariliense, ministro Dias Toffoli, até setembro de 2020. Ele estava atualmente na assessoria especial de Segurança Institucional do Conselho da Justiça Federal. O novo diretor-geral também passou por cargos executivos como secretário de Esporte, Lazer e Juventude do estado de São Paulo, no governo de Geraldo Alckmin (PSDB), entre 2016 e 2018, e subsecretário da Segurança Pública de São Paulo.

Em 2017, quando ainda Secretario Estadual de Esporte e Lazer, Paulo veio para Marília na abertura do JORI (Jogos Regionais dos Idosos)


Paulo Gustavo, o terceiro diretor-geral da PF no governo Jair Bolsonaro, tem entre os destaques da sua carreira o fato de ter participado da investigação do chamado “mensalão mineiro”, que apurou crimes de caixa 2 na campanha de reeleição do tucano Eduardo Azeredo

O novo diretor-geral da Polícia Federal será responsável no comando da instituição por inquéritos que envolvem o presidente Jair Bolsonaro e integrantes do governo. A PF conduz a apuração aberta no ano passado pelo STF (Supremo Tribunal Federal) para investigar a acusação do ex-ministro Sergio Moro sobre suposta influência de Bolsonaro na instituição. Também abriu inquérito contra o ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello para apurar se ele cometeu crimes na gestão da pandemia de covid-19. Outras duas apurações em andamento, que também interessam o presidente, são as que tratam dos atos antidemocráticos e do inquérito das fake news.

389 visualizações0 comentário