Buscar
  • J. POVO- MARÍLIA

Marilienses se unem em campanha online para ajudar no tratamento da pequena Pérola


Por Vinícius Raymond


“Eu fico com a pureza da resposta das crianças, é a vida, é bonita e é bonita”, e é sobre o tom da Música O’que, o Que É, de Gonzaguinha, que a Solutudo Marília, vai contar a história por trás da campanha de arrecadação online da pequena, Pérola Elena Bernardo de Camargo, que com apenas 2 anos e 6 meses, já aprendeu o valor de um sorriso.

A filha caçula de, Juliana Bernardo de Camargo, aprendeu a lutar logo no seu nascimento, pois devido às complicações que sua mãe, teve na gestação, a pequena nasceu prematura, e ficou 14 dias entubada na UTI (Unidade de Terapia Intensiva), os médico diziam que Juliana deveria estar pronta para o pior, pois o caso de sua filha era grave e instável e que se sobrevivesse era provável de que a criança não fosse capaz de andar, e foi em meio a essas dificuldades que a garotinha venceu a sua primeira batalha.

Ainda sim, a luta que a família tem para que Pérola viva sua infância de forma saudável continua, a criança só consegue dormir sob o uso de medicação por conta de que em seu parto a criança teve falta de oxigenação e até hoje a família luta para que ela faça o exame de ressonância com sedação e descubra se houve alguma lesão e se há como tratar.

Além de que desde os 2 meses de vida, faz sessões de fisioterapia, e graças ao trabalho dos profissionais envolvidos e a perseverança da mãe, a criança hoje corre e até dança ao lado das duas irmãs mais velhas.

“Desde seu nascimento nada vem sendo fácil, mas eu nunca perdi a fé e tenho muito orgulho de minha garotinha, pois mesmo diante de tantas dificuldades Pérola nunca deixou de sorrir”. conta a mãe de Pérola em entrevista.

E você, nosso caro leitor que se emocionou com a história da Pérola da Família Bernardo de Camargo, saiba que pode ter um papel crucial na história desta criança.

Pois o seu irmão mais velho, Pedro Gabriel, iniciou uma campanha online para arrecadar a quantia necessária para realização do exame e continuar com as sessões de fisioterapia, pois ambos estão suspensos pelo SUS (Sistema Único de Saúde) e a garota necessita para não ter uma regressão em seu tratamento. A campanha está no site vakinha.



52 visualizações0 comentário