Buscar
  • J. POVO- MARÍLIA

Mulher se passa por oficial de justiça para chantagear e extorquir R$ 10 mil por mês do ex-marido


Ângela Aparecida Machado, de 29 anos, foi presa nesta quinta-feira (2), em Botucatu, por extorquir dinheiro e chantagear o ex-companheiro. A suspeita se passava por oficial de Justiça, advogada e psicóloga para cometer os crimes. Questionada sobre como gastava o dinheiro, estimado em cerca de R$ 10 mil por mês, a suspeita confessou que pagava passeios, viagens e lanches.

Segundo o delegado responsável pelo caso, Celso Olindo, Ângela disse no depoimento que conviveu com o ex-companheiro por oito anos e que, desse relacionamento, eles possuem um filho de seis anos. Há cerca de dois anos, o casamento chegou ao fim e Ângela entrou com uma ação no Fórum de Botucatu na qual solicitava que o homem pagasse a pensão alimentícia para o filho, fixada no valor de meio salário mínimo, ou seja, aproximadamente R$ 600. Ainda no depoimento, Ângela contou que o ex-companheiro pagava a pensão por mês, porém, por achar que o valor era pequeno, começou a ameaçar denunciá-lo às autoridades.

O homem, então, começou a depositar valores maiores que o estipulado judicialmente há mais de um ano. Em seguida, insatisfeita, a suspeita também disse que passou a usar o aplicativo de mensagens do celular para se passar por uma advogada, identificada como Gabi, e exigir valores maiores. Ângela ainda lembrou que pediu para a irmã mais nova, de 17 anos, moradora de Pardinho , que ligasse para o ex-companheiro dela se passando pela psicóloga do Fórum e ameaçando denunciá-lo caso não depositasse valores na conta de Ângela. Questionada sobre como gastava o dinheiro, a suspeita confessou que usou para pagar passeios, viagens e lanches. Ela ainda afirmou que não sabe quanto recebeu ao todo do ex-companheiro, mas calcula ser mais de R$ 10 mil por mês. A Polícia Civil apreendeu o celular da suspeita.



75 visualizações0 comentário