top of page
Buscar
  • Foto do escritor J. POVO- MARÍLIA

NOVEMBRO AZUL: Urologista da Unimed Marília desmistifica tabus sobre a saúde masculina


Urologista da Unimed Marília, Dr. Geraldo Benedito Gentile Stefano, esclarece principais dúvidas Novembro é o mês dedicado à conscientização sobre a saúde masculina, e o Novembro Azul visa alertar os homens para a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de próstata.

Para trazer informações valiosas e esclarecer as principais dúvidas sobre o tema, a Unimed Marília convidou o urologista Dr. Geraldo Gentile.

1- Qual a importância do mês de novembro para a conscientização sobre o câncer de próstata?

Com os avanços da ciência, tornou-se possível detectar muitas enfermidades antes que as mesmas provocasse qualquer sintoma, ou seja, em sua fase inicial. Isto possibilita tratamentos cada vez mais eficientes e curativos. O homem latino, por problemas culturais, sempre negligenciou o cuidado com a sua saúde e, dentro deste contexto, surgiu o "Novembro Azul", idealizado pela Sociedade Brasileira de Urologia, apoiado pelo Ministério da Saúde e amplamente divulgado pela mídia, dirigiu os holofotes para o homem, principalmente homens de meia-idade, envolvendo as famílias que os incentivam a procurar cuidados e criar o hábito saudável de prevenção.

2 - Quais são os fatores de risco para o câncer de próstata?

Os fatores de risco para o câncer de próstata, são: idade e predisposição genética, já que a incidência aumenta após a sexta década e continua a se elevar a cada década e, homens com ascendentes diretos com Câncer de próstata, tem probabilidade maior de manifestar a doença. Outro fator de risco é a raça/etnia, sendo que negros tem maior incidência.

3 - Quais são os sintomas do câncer de próstata?

O Câncer de próstata é assintomático na fase inicial, sendo que com sua evolução, e ausência de plasticidade, muitas vezes evolui para dificuldade de esvaziamento da bexiga, com jato fraco, esforço miccional e retenção urinária abrupta com necessidade de cateterismo vesical muitas vezes de urgência.

4 - Como é feito o diagnóstico do câncer de próstata?

O diagnóstico do câncer de próstata é suspeito pelos sintomas, exame clínico com toque retal e dosagem do antígeno prostático específico(PSA) e, confirmado com biopsia de próstata guiada por ultrassom. Nos casos em que não se detecta área suspeita pelo toque, utilizamos a ressonância nuclear magnética multiparamétrica para localizar atividade celular e/ou nódulo suspeito e dirigir a biopsia.

5 - A prevenção do câncer de próstata é possível?

Não é possível a prevenção do Câncer de próstata, mas o que propomos e fazemos é a prevenção da doença avançada e incurável. Procuramos o diagnóstico precoce para oferecermos possibilidade de tratamento curativo.

6 - Quais são as opções de tratamento?

Uma vez feito o diagnóstico, podemos propor o tratamento. Cada paciente deve ser tratado de forma personalizada de acordo com sua idade, morbidades, características

de agressividade do tumor e expectativas do paciente. As principais modalidades são a cirurgia, radioterapia, hormonoterapia e vigilância ativa.

7 - O câncer de próstata afeta a função sexual?

O Câncer de próstata não afeta a função sexual, porém o tratamento pode afetar. Embora muitos esforços têm sido realizados para diminuir esta complicação, ela pode ocorrer, mas, tem como ser tratada com bastante sucesso.

8 - Quando procurar o urologista?

A recomendação da Sociedade Brasileira de Urologia é que o homem deve fazer avaliação anual com relação à próstata a partir dos 50 anos. Caso tenha fator de risco, a partir dos 45 anos e caso existam sintomas miccionais a qualquer idade.

9 - Mensagem Final

Como o Câncer de próstata é a segunda neoplasia mais prevalente no homem, os holofotes todos foram dirigidos para esse assunto e, o novembro azul, graças à ampla divulgação da mídia, tornou-se um sucesso! Porém, a saúde do homem não se restringe à próstata e o mês para procurar cuidados não é só novembro. Acho que esse hábito do" cuidar-se", deve cada vez mais fazer parte de nossa cultura, em busca de uma vida plena com envelhecimento saudável.



61 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page