top of page
Buscar
  • Foto do escritor J. POVO- MARÍLIA

ONG Spaddes, com apoio policial, aperta o cerco contra maus-tratos a animais


Com apoio da Rocam da Polícia Militar, a ONG Spaddes (Proteção Animal) de Marília, atendeu algumas denúncias de maus-tratos de animais no Bairro Labienopolis, em Garça.

Durante a fiscalização foi constatado em uma residência animais neesas condições, sendo um deles encontrado já sem vida dentro de uma casinha,. Segundo informações o animal já estava morto há dias.

No local foi localizado mais dois animais com vida, uma fêmea filhote e uma fêmea já adulta, as quais não tinham alimentação disponível. Tanto na área externa da casa como dentro, estava lotado de fezes.

A dona dos animais, após ser indagada sobre a situação que eles estavam, disse para equipe que os animais estavam sendo alimentados e que a ração ficava na casa de seu pai. Sobre o animal que foi encontrado morto, afirmou que fazia um dia que ele tinha morrido. Mas, a equipe médica veterinária parceira da ONG, que também esteve no local, informou que o animal estava morto há mais de três dias.

A mulher recebeu voz de prisão pelo crime de maus-tratos e foi conduzida para Delegacia de Polícia. Equipe da Polícia Civil também esteve no local.

Todas as partes foram ouvidas na delegacia, onde o delegado de plantão decidiu apenas fazer o registro do boletim de ocorrência para que o caso seja investigado A dona dos animais foi ouvida e liberada em seguida.

Os dois animais que estavam vivos continuaram na residência, não sendo depositados para a ONG Spaddes.

Gabriel Fernando, diretor da ONG Spaddes

NOTA DE ESCLARECIMENTO

A ONG Spaddes através desta nota vem prestar esclarecimentos sobre a diligência que ocorreu em uma residência no bairro Labienopolis na cidade de Garça-SP.

Esta ONG atua no combate contra maus-tratos aos animais, com total transparência e dentro da legalidade. Sobre o fato ocorrido, o diretor, Gabriel Fernando, deu voz de prisão para a tutora do animal, que foi conduzida até o distrito policial e apresentada para o delegado de plantão.

Cabe somente à autoridade policial fazer a lavratura do auto de prisão em flagrante ou decidir que acusado(a) responda o processo em liberdade.

Em relação aos animais que continuam na casa da investigada, em nenhum momento a ONG Spaddes recebeu o termo de auto de apreensão/e entrega dos animais ou termo de fiel depositário.

Nossa luta pela causa animal continua. Infelizmente, nossas leis são muito brandas. A nova lei/sanção que foi aprovada em setembro de 2020 pelo Congresso Nacional (determina pena de até 4 anos de prisão para quem praticar maus-tratos a animais) já é um avanço para a causa animal. Mas, infelizmente em algumas cidades não está sendo cumprida como deveria.



40 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page