Buscar
  • J. POVO- MARÍLIA

ONG Spaddes já fez 86 atendimentos este ano, com 9 prisões em flagrante por maus-tratos a animais


Animal em situação de maus-tratos socorrido pela ONG Spaddes com apoio da PM


A ONG Spaddes (Sociedade Protetora dos Animais de Marília) fez mais um levantamento sobre as denúncias que foram atendidas. Entidade vem trabalhando contra o crime de maus tratos na cidade de Marília e região, com intuído de resgatar animais que sofrem maus-tratos dentro


Muito se fala em sociedade protetora dos animais nos dias de hoje, em que a preocupação com os maus tratos sofridos por pets é cada vez mais constante. Buscando aprovar legislações específicas e conscientizar a população em geral sobre a posse responsável de animais, essas entidades formam um conjunto cada vez maior de protetores de cães e gatos – entre outros bichos – mostrando que todas as formas de vida merecem respeito, atenção e o direito ao bem-estar. Incentivando as denúncias contra maus-tratos e a adoção de pets abandonados.

Cada estado brasileiro – assim como a maioria dos municípios – conta com uma entidade específica para a proteção dos animais, recebendo denúncias e promovendo campanhas que ajudam os animais a conviver com mais saúde e dignidade, incluindo mutirões de adoção, vacinação e abaixo-assinados para a aprovação de leis que ajudem a garantir os direitos dos animais.

Posse responsável

Aumentando o conhecimento da população em relação à posse responsável, as entidades direcionadas à proteção dos animais também trabalham pesado em campanhas educativas que fazem a divulgação de informações valiosas para quem tem ou deseja ter um pet em casa – influenciando possíveis proprietários a considerarem todos os aspectos envolvidos na compra ou adoção de animais, para que o nível de abandono e falta de atenção com os animais seja cada vez menor. Incentivando a adoção de pera no lugar da compra, essas associações visam diminuir o número de animais abandonados nas ruas e, consequentemente, o nível de propagação de zoonozes e outras doenças comuns aos animais.

Posse responsável de animais

Ponto principal de atenção em 100% das entidades protetoras dos animais, a posse responsável destaca uma série de fatores que devem ser levados em consideração antes que uma pessoa compre ou adote um animalzinho para o seu lar. Tendo essas informações em mente, a decisão de um possível properietário de pet é facilitada; pois, a vida de um animal só é saudável e completa quando estas ações e cuidados específicos são executados, e esse deve ser o primeiro fator a se considerar na hora de adicionar um membro de quatro patas à família.

DICAS

* Um cão vive cerca de 12 anos, e isso deve ser levado em consideração antes de adicionar um pet à família. Saiba se todos da casa concordam com a adoção de um pet e que tipo de providência será tomada em ocasiões que não puder cuidar do animal, como viagens e períodos de férias.

* Adote um Pet de um abrigo – devidamente vacinado e castrado - ao invés de comprar um animal por impulso.

* Informe-se em relação as principais características e necessidades da raça escolhida antes de levar o animal para casa.

* Não deixe seu pet solto nas ruas. Passeios são fundamentais para manter a saude dos animais, mas devem ser feitos sob o controle dos proprietários.

* Cuide da saúde do seu pet. Alimentação balanceada, atividades físicas, vacinação, abrigo adequado e visitas ao veterinário devem ser preocupações constantes.

* O lado psicológico dos animais também deve ser levado em conta, portanto, dê bastante carinho e atenção a ele.

* Eduque o seu animal - por meio de técnicas de adestramento, se for preciso – para evitar problemas, mas sempre respeite as características natas da sua raça.

* Recolha, sempre, as necessidades do pet, e jogue-as em locais próprios para isso.

* Identifique seu pet com a ajuda de placas afixadas à coleira ou por meio de microchips. Registre o animal em um Centro de Controle de Zoonozes e se informe em relação às legislações animais específicas do local.

* Evite a procriação indesejada de seus pets por meio da castração. Essa medida é definitiva e não tem contra-indicações.

País atrasado

Apesar de todos esses direitos e décadas da assinatura da declaração, nosso país se encontra bastante atrasado quando o assunto são leis que protegem os animais e não é incomum convivermos com o abandono, maus-tratos e outros atos contra animais, que podem até causar revolta em muitas pessoas, mas na maior parte das vezes passam sem qualquer punição.

Em nossa Constituição Federal existem leis que protegem os animais, assim como possuímos uma Lei dos Crimes Ambientais, apesar disso, elas ficam em segundo plano e são constantemente ignoradas por quem aplica a lei.  Na Câmara dos Deputados existem diversas leis que buscam os direitos dos animais em trâmite, no entanto, como muitas outras, elas estão há anos nessa situação.

Faça sua parte

Lembre-se que as ONG’s que cuidam de animais possuem diversos gastos e cuidados de vários animais ao mesmo tempo, por isso toda ajuda é bem vinda. Muitas pessoas gostam de animais, mas são conscientes de que não podem cuidar de um por diversos motivos – aliás, antes de ter um pet lembre-se de estudar se você realmente pode cuidar de um -, no entanto gostariam de ajudar bichinhos de alguma forma.

Por Diretor da ONG - Gabriel Fernando (Spaddes)


Cachorro com frio precisa de abrigo quente

Seja o seu pet de pelo curto ou longo, ele precisa de um abrigo quentinho para se proteger do inverno. Para isso, providencie uma casinha no tamanho adequado e a deixe em um local coberto de longe de vento.

Dentro da casinha, coloque um colchonete e um cobertor para proteger bem o peludo. No geral, em dias com temperatura não muito fria esse cuidado é suficiente. Mesmo assim, o tutor precisa ficar atento para saber se o animal está confortável ou se sente frio.

Um cachorro com frio fica enroladinho em um canto e pode até tremer. Neste caso, é preciso providenciar um local mais quente para ele e cobri-lo com um cobertor ou, em alguns casos, colocar roupinhas.

Há também casos nos quais os cães não gostam de entrar na casinha. Se o seu peludo for assim, é preciso ter um local coberto e livre de vento para que ele durma. Coloque um estrado de madeira e a caminha em cima. Isso evitará que a temperatura fria do chão chegue nele.




0 visualização0 comentário