top of page
Buscar
  • Foto do escritor J. POVO- MARÍLIA

PARQUE DAS FLORES: Corte de energia por falta de pagamento deixa moradores de condomínio sem água


Moradores do residencial Parque das Flores, na zona norte de Marília, estão revoltados com a falta de água há quase uma semana no condomínio. Apontam que a incorporadora responsável pelo residencial deu calote na CPFL e por isso houve corte no fornecimento de energia elétrica, com a consequente paralisação das bombas de distribuição de água do poço artesiano para as residências.

"É uma palhaçada isso ,estamos a uma semana se água, com bebê, sem banho, sem roupas limpas, sem ter como cozinha e não temos nenhum respaldo, o Daem manda os caminhão pipa pra cá mas não liberam água pra nós", relatou uma moradora do condomínio em postagem no Instagram.

O JORNAL DO POVO não conseguiu contato com empreendedores do condomínio para falar sobre o caso. O espaço está aberto para manifestações.

ROLOS COM O EMPREENDIMENTO

O Residencial Parque das Flores, sob responsabilidade da Barion Empreendimentos, gera transtornos e demandas judiciais desde as negociações dos lotes, com avalanche de pessoas lesadas. A Justiça Estadual em Marília emitiu diversas sentenças condenando os empreendedores do Loteamento a devolverem dinheiro a compradores. com juros e correção monetária.

O conturbado loteamento, às margens da Avenida Eugênio Coneglian, na Zona Norte da cidade, foi aprovado em 2012, com promessas de entrega em 2014. Mas, seis anos depois, ainda seguia emperrado. O projeto previa 314 lotes com tamanho médio de 200 m2 cada um.

Um texto publicitário de venda de lotes, divulgado em 2012 pela Barion Empreendimentos, dizia: "No Parque Das Flores Marília, você encontrará terrenos na planta em estágio de pronto com áreas privativas que acomodarão sua família com todo conforto no preço que tanto procurava. Nas plantas dos terrenos a venda do Parque Das Flores Marília você poderá conferir que foram muito bem delimitadas proporcionando a você erguer o projeto dos seus sonhos".

FATURARAM CERCA DE R$ 16 MILHÕES

As empresas responsáveis pela fraude são a Barion Empreendimentos Imobiliários Ltda, a Urbplan Desenvolvimento Urbano S/A (administrada pelo grupo americano Carlyle) que incorporou a Scopel SP-58 Empreendimentos Imobiliários Ltda.

As empresas faturaram cerca de R$ 16 milhões prometendo entregar o Parque das Flores. Para os investidores, por muito tempo, só sobraram espinhos!



 

 

 



201 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page