Buscar
  • Da redação e G1

PF cumpriu hoje novos mandados de prisões e apreensões ligados ao ataque a bancos em Araçatuba


A Polícia Federal de Araçatuba cumpriu, nesta terça-feira (21), a 10ª fase da operação que investiga o ataque às agências bancárias que deixou três mortos na data do crime, no dia 30 de agosto de 2021.

Desde o início da operação, foram presos 43 investigados e cumpridos 95 mandados de busca e apreensão. De acordo com a PF, nesta terça-feira foram expedidos cinco mandados de prisão temporária, oito de busca e apreensão e quatro mandados de identificação criminal. Dos mandados de busca e apreensão, dois foram em São Paulo, dois em Agudos, um em Indaiatuba e outros três em Campinas (SP). Quatro dos cinco mandados de prisão foram cumpridos em São Paulo, Campinas e Agudos. Um dos investigados não foi localizado e é considerado foragido da Justiça, contudo, na casa dele, foram apreendidos R$ 60 mil e uma pistola calibre .380.

Ainda sobre os mandados de prisão, a polícia constatou que quatro investigados participaram do crime fornecendo estrutura logística aos demais integrantes do grupo. O quinto investigado está ligado com os principais executores do crime, que estão presos. É possível que ele, inclusive, tenha participado diretamente do roubo, segundo a polícia. A identificação dos investigados ocorreu após análises dos elementos colhidos na operação. Eles foram presos nesta terça-feira após representação da Polícia Federal junto à Justiça Federal de Araçatuba. Terror em Araçatuba Terror em Araçatuba: saiba como foi o mega-assalto a agências bancárias Criminosos fortemente armados atacaram três agências bancárias no Centro de Araçatuba, no início da madrugada do dia 30 de agosto. A ação durou duas horas, entre ataque às agências, tiroteio e fuga. A quadrilha rendeu moradores e os usou como escudo humano. Imagens feitas por câmeras de segurança mostram alguns moradores andando pelas ruas sob a mira das armas dos criminosos e outros sobre os carros durante a fuga. Dois moradores morreram durante a ação criminosa, além de um criminoso. Outra cinco pessoas ficaram feridas, entre elas um jovem que teve os pés amputados após ser atingido por um explosivo deixado nas ruas pela quadrilha. O grupo criminoso espalhou quase 100 bombas pela cidade, que eram acionadas por sensor e celular.

Veja o resumo do crime:

Grupo de mais de 30 criminosos atacou três agências bancárias. Em duas delas, os bandidos conseguiram levar dinheiro; a terceira teve apenas os vidros atingidos por tiros; o valor não foi informado;

Veículos foram incendiados para fechar vias e atrapalhar a chegada da polícia;

Criminosos fizeram moradores e motoristas reféns, sendo que algumas das vítimas foram feitas de "escudo humano"; grupo também usou drone para monitorar a chegada da polícia;

Três pessoas morreram na cidade, entre elas, um criminoso; outras cinco ficaram feridas, incluindo um jovem que teve os pés amputados;

Dois suspeitos de participar do crime morreram em outras cidades, sendo um em Sumaré (SP) e outro em Piracicaba (SP);

43 investigados foram presos;

Ruas do Centro de Araçatuba foram isoladas, pois explosivos foram espalhados pela cidade; Gate apreendeu 98 bombas; trabalho para detonar e desativar levou mais de 30 horas;

Explosivos deixados por criminosos tinham sensores para ativar explosões; outros eram acionados a distância (mensagem ou ligação).

64 visualizações0 comentário