top of page
Buscar
  • Foto do escritor J. POVO- MARÍLIA

POMPEIA, 94 ANOS! Festa do Peão reúne multidão e marca comemorações do aniversário


Festa do Peão de Pompeia reúne multidão no Recinto de Exposições, com entrada gratuita

Pompeia comemora hoje 94 anos. Mas a festa começou na quinta-feira, com a grande Festa do Peão, que reúne multidão (entrada gratuita) em grandes shows, além de montaria, praça de alimentação e muitas outras atrações no recinto de exposições “Mário Zapparoli”.

A dupla Bruno & Marrone abriu o evento, Nesta sexta-feira foi a vez de João Bosco & Vinicius e hoje (sábado), tem o grande show da Boate Azul com as duplas já consagradas Edson e Hudson e Gian e Giovani. O encerramento da Festa do Peão será neste domingo, com o grupo Roupa Nova.


GESTÃO EFICIENTE

Pompeia teve o desenvolvimento impulsionado após a primeira gestão da prefeita Tina Escorce, que foi reeleita com maciça votação e cumpre seu segundo mandato com expressiva aprovação popular.

Tina revolucionou a gestão na Prefeitura de Pompeia, com investimentos em obras nos setores de habitação, saúde, educação, assistência social, urbanização e mobilidade urbana.

Uma gestão eficiente e centrada na probidade administrativa, com todas as contas aprovadas pelo Tribunal de Contas do Estado.

Prefeita Tina Escorce: gestão eficiente aprovada pela população e Tribunal de Contas

HISTÓRIA DE PROGRESSO

Pompeia se destaca pelo seu potencial industrial no segmento de alimentação e tecnologia. Por meio da Fatec “Shunji Nishimura”, o município possui o pioneiro curso de Mecanização em Agricultura de Precisão, único no mundo, e o curso de Big Data no Agronegócio, referência nacional. História

Os primeiros desbravadores chegaram em Pompeia em 1852, quando o Governo Imperial concedeu posse primária das terras localizadas nas bacias dos rios Peixe e Feio a João Antonio de Moraes, Francisco de Paula Morais e Francisco Rodrigues de Campos. Em 1919, Júlio da Costa Barros, Pedro Verri, Ormindo Mota, Luís Dal Monte, Luiz Scalabrini, os irmãos Pagani e outros adquiriram dos irmãos Lélio e Marcelo Pizza parte da Fazenda Guataporanga para fins agrícolas.

No terreno que comprara, Júlio da Costa Barros iniciou as primeiras plantações de café cerca de três anos mais tarde. Em seguida, por determinação do proprietário da Fazenda Guataporanga, fundou a Vila de Novo Cravinhos, cujo nome foi dado em homenagem à cidade de Cravinhos (Mogiana), de onde vieram os primeiros compradores. O roteiro para a derrubada das matas foi a Estrada de Ferro Noroeste do Brasil. Os desbravadores seguiam até a estação de Penápolis, de onde continuavam por picadas cerca de noventa quilômetros até o ponto onde se erguia Novo Cravinhos. As primeiras terras foram compradas a R$ 0,03 o alqueire.

Com uma área de mil alqueires a Fazenda Jacutinga foi a primeira a ser formada nas imediações. Seu proprietário, Rodolfo Lara Campos, adquiriu-a para o plantio do café, dando início ao desbravamento da mata onde, mais tarde, surgiria a cidade de Pompéia. Os dezoito quilômetros da estrada de rodagem que liga Vila Olinda a Pompéia foi por ordem e conta do proprietário da Fazenda Jacutinga. Inicialmente as terras pertenciam a três grandes proprietários: Rodolfo Nogueira da Rocha Miranda (vertentes do Rio Peixe) e irmãos Lélio e Marcelo Pizza (vertentes do Rio Feio).

Em 1928 os irmãos Rodolfo e Luiz Miranda planejaram a formação de uma cidade e ordenaram a derrubada de 250 hectares de matas no espigão Peixe-Feio, nas vertentes do Ribeirão Futuro. Depois de loteada a área recebeu a denominação de Patrimônio de Otomânia, iniciando-se a venda dos lotes. Alguns anos depois o Patrimônio recebeu a atual denominação em homenagem a Aretuza Pompeia da Rocha Miranda, esposa do Senador Rodolfo Miranda.



67 visualizações0 comentário
bottom of page