top of page
Buscar
  • Por Adilson de Lucca

Prefeito Daniel Alonso pede abertura de inquérito policial contra autor de pedidos de CP na Câmara


Dema com o prefeito Daniel Alonso em evento no Projeto Estação, durante campanha eleitoral

O prefeito Daniel Alonso (sem partido), encaminhou ofício ao delegado Seccional de Polícia Civil de Marília, Wilson Carlos Frazão, solicitando a abertura de inquérito policial nos termos do artigo 5º inciso II do código de processo penal, para apurar suposta denunciação caluniosa e outros delitos a serem apurados, contra o catador de recicláveis Ademar Aparecido de Jesus, o Dema, que já protocolou 13 pedidos de abertura de comissão processante contra o prefeito (envolvendo também assessores) na Câmara de Marília. Todos os pedidos foram rejeitos em votação em plenário.

Dema está em pé de guerra com a Prefeitura por conta do rolo com pedido judicial de desocupação de boxes do camelódromo instalado às margens da via férrea da concessionária Rumo Logística, no centro de Marília.

A representação do prefeito cita que "o fato é que o individuo de nome Ademar Aparecido de Jesus vem sistematicamente realizando denuncias sem qualquer fundamento e sem qualquer conteúdo probatório, denegrindo a imagem do prefeito municipal, com alegações fantasiosas, mormente quanto à idoneidade da gestão municipal e do prefeito".

Também menciona que " as denuncias do mencionado indivíduo tiveram tramite junto a Câmara Municipal, inclusive com pareceres jurídicos sendo abertos procedimentos, e pautadas para votação na sessão de ordinária, sendo rejeitadas por maioria de vereadores e remetidas ao arquivo".

Aponta denúncia repetida. "Após todas essas denuncias infundadas o individuo insistentemente protocolou novamente correspondências que tiveram seu tramite junto à casa de leis com a abertura de procedimento e novamente sendo arbitrariamente pautadas pelo presidente da câmara, correspondências absurdas e sem qualquer fundamento ou prova das alegações,novamente foram votadas e arquivadas por maioria de vereadores".

O ofício de Alonso cita que "as denuncias são tão superficiais que a maioria dos vereadores votaram pelo arquivamento. Ademais é fato que o individuo mesmo sabendo que se tratam de denuncias infundadas e de fatos sabidamente inverídicos, somente o faz com intuito de denegrir a imagem do Alcaide e do Governo Municipal. Além disso, as denuncias não possuem qualquer fundamento, sendo que todos os procedimentos e atos mencionados nas denuncias foram realizados na mais absoluta lisura e com compromisso e responsabilidade ao dinheiro público. Ademais cabe esclarecer que se trata de denúncias vazia e fabricada com o intuito de criar factoide, com o objetivo de denegrir pessoas da administração pública de Marília".

O prefeito finaliza o ofício mencionando que "dessa maneira solicitamos providências cabíveis acerca dos fatos narrados, mormente quanto à denunciação caluniosa e demais crimes relacionados".

MAIS DOIS PEDIDOS, HOJE

A pauta da sessão da Câmara de Marília desta segunda-feira (6), traz mais dois pedidos de abertura de Comissões Processantes contra o prefeito Daniel Alonso (sem partido). Os pedidos foram protocolados por Dema.

Pela lógica do ocorrido em outros 11 matérias desta natureza este ano, os novos pedidos de CPs serão rejeitados por 10 votos contra e uma ausência em plenário (Danilo da Saúde).

DENÚNCIAS

Nas denúncias desta segunda-feira são apontadas irregularidades no funcionamento dos radares de controle de velocidade e apontados gastos descabidos como a compra de álbum de figurinhas de dinossauros para a educação, além de pagamento indevido de anuênio a cargos comissionados.

Também constam denúncias do não cumprimento do Plano de Gestão de Resíduos Sólidos, em cumprimento à Política Nacional dos Resíduos Sólidos, com ausência de coleta seletiva e o mau gerenciamento de coleta e destinação de lixo no município.



304 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page