Buscar
  • J. POVO- MARÍLIA

Quadrilha largou caminhão carregado de explosivos em Araçatuba. PF prende mais um suspeito


Veículos abandonados em canavial e bomba largada no centro de Araçatuba


Um suspeito de envolvimento no ataque a três agências bancárias de Araçatuba (154 quilômetros de Marília) foi preso em Campinas nesta terça-feira (31), a 450 quilômetros de distância do mega-assalto, que ocorreu na madrugada de ontem (30). Outro suspeito foi preso pela Polícia Civil em Piracicaba.

De acordo com a Polícia Federal, ele foi detido por policiais da Divisão Especializada de Investigações Criminais (DEIC) e encaminhado a sede da Polícia Federal em Araçatuba. A PF assumiu a investigação do crime. O homem é a quarta pessoa detida durante a investigação. Um suspeito detido, também na segunda-feira, foi ouvido e liberado. Um casal segue preso por suspeita de envolvimento no crime. Pelo menos 20 criminosos participaram da ação no interior de São Paulo, que resultou em três mortes e cinco feridos, um deles em estado gravíssimo depois que teve os pés amputados por explosão de bombas.

CARROS E ÔNIBUS

Sete carros usados pela quadrilha foram apreendidos na tarde desta segunda-feira (30), também no interior do Estado. Entre eles, um veículo adaptado para carregar armamento de guerra, de acordo com a Polícia Militar.

As equipes localizaram os automóveis entre as cidades de Bilac e Gabriel Monteiro. Um deles estava com o vidro do passageiro adaptado para tiros serem disparados por armas de fogo de calibre .50, que pode derrubar helicópteros e é restrito às Forças Armadas, segundo as composições.

"O veículo é de grande porte. Possivelmente, eles deixaram um calibre.50, que é uma arma de guerra, fixado em um tripé.

O buraco serve para colocar o cano arma para o lado de fora. Os bandidos conseguem atirar na de dentro do carro. Eles ficam protegidos porque o veículo é blindado. Nós encontramos munições de .50, .762. e .556", explicou o capitão da PM Alexandre Tropaldi. Também conforme a Polícia Militar, três dos sete carros apreendidos foram roubados de moradores durante a fuga, e havia um Porsche entre eles.

ÔNIBUS ABANDONADO Os agentes também acharam perto do pedágio de Glicério, em São Paulo, um ônibus abandonado com tambores de gasolina. A suspeita dos servidores públicos é de que o combustível tenha sido usado pelo grupo que atacou as agências bancárias para atear fogo em veículos na Rodovia Marechal Rondon. Buscas estão sendo feitas para encontrar o bando, e o helicóptero Águia, da Polícia Militar de São José do Rio Preto, dá apoio à ocorrência. Nenhum envolvido havia sido preso até as 18h45 desta segunda-feira (30). TERROR NA MADRUGADA

A quadrilha do “novo cangaço” que causou terror durante a madrugada espalhou ao menos 40 bombas pela região central da cidade durante a ação. Os criminosos abandonaram ainda um caminhão repleto de artefatos explosivos próximo das agências bancárias que foram atacadas.

A informação foi confirmada pelo capitão Guedes da PM de São Paulo. Segundo ele, agentes do esquadrão antibomba do GATE (Grupo de Ações Táticas Especiais) trabalham para identificar e desativar os artefatos.

O mega-assalto a agências bancárias de Araçatuba que terminou com três mortos, três detidos e cinco feridos na madrugada desta segunda-feira (30) mudou a rotina da cidade. Lojas, empresas, escritórios e escolas estão fechados pela ameaça de explosões de artefatos que a quadrilha espalhou pela cidade.

Segundo informações da Secretaria de Segurança Pública, 40 explosivos em 20 pontos da cidade foram deixados pela quadrilha. O Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate) trabalha para desarmar as bombas. Até as 21h desta segunda-feira, 16 artefatos tinham sido desarmados. Porém, as equipes continuavam atuando para retirar mais explosivos, inclusive do interior de uma das agências bancárias. Várias ruas foram interditadas para evitar a circulação de pessoas, já que os artefatos estão equipados com sensores de proximidade, segundo a polícia. Em um vídeo feito por uma câmera de segurança é possível ver um dos criminosos espalhando explosivo. No vídeo é possível ver que o artefato emite luzes de raio laser verde.

PÉS E DEDOS AMPUTADOS Um desses explosivos deixou gravemente ferido um morador de 25 anos que passava de bicicleta por um dos pontos. A polícia não sabe se ele apenas se aproximou de uma dinamite ou se chegou a tocá-la, mas o artefato explodiu e atingiu o homem, que teve os pés e os dedos das mãos amputados. IMPACTOS NA CIDADE O crime também interferiu na vacinação contra a Covid-19, pois um dos pontos de imunização ficou fechado. Como no município fica a sede do Departamento Regional de Saúde (DRS), não houve a distribuição de vacinas e Birigui cancelou a vacinação nesta segunda-feira. O prefeito de Araçatuba, Dilador Borges, suspendeu as aulas nas escolas municipais; escolas estaduais também cumpriram a medida. Em nota, a Prefeitura de Araçatuba afirmou que o transporte público vai operar durante todo o dia, mas com alteração nas rotas para evitar o Centro da cidade. O município também lamentou o ocorrido e se colocou à disposição das famílias das vítimas e de moradores que foram usados como reféns. Equipes foram disponibilizadas para realizar atendimento psicológico por meio dos telefones (18) 3624-5565, (18) 3637-1050 e (18) 99607-3897. O CRAVI - Centro de Referência e Apoio à Vítima, entidade que atua em parceria com o Governo do Estado, também vai prestar apoio aos moradores pelos números (18) 3301-9751; (18) 9777-5771 e (18) 98143 -7074.



169 visualizações0 comentário