Buscar
  • J. POVO- MARÍLIA

Rezende manda pedidos à Procuradoria e votação de C.P contra Féfin pode acontecer na próxima sessão


Rezende aguarda manifestação da Procuradoria Jurídica e pode colocar pedido de abertura de C.P contra Féfin na sessão da próxima segunda-feira


O vereador Júnior Moraes (PR) protocolou na secretaria da Câmara de Marília um ofício pedindo a revogação de um requerimento dele, apresentado na sessão camarária da segunda-feira (14) e aprovado pela maioria do plenário, onde solicitou a prorrogação por mais 30 dias da votação do pedido de abertura de Comissão Processante contra o vereador agente Júnior Féfin (PSL). Outro pedido de adiamento por 60 dias já havia sido aprovado pelo plenário em abril.

No fina da sessão de segunda-feira, Féfin apresentou ao presidente da Casa, Marcos Rezende (PSD), um ofício com assinatura de alguns vereadores onde pedia a anulação da aprovação de adiamento da votação da C.P contra ele.

Diante desse imbróglio, Rezende encaminhou os ofícios de Júnior Moraes e Féfin à Procuradoria da Câmara, para emissão de parecer.

"Caso a Procuradoria dê parecer favorável e seja regimental os pedidos, vou colocar em votação na sessão da próxima segunda-feira (21) o pedido de abertura de Comissão Processante contra o vereador Féfin", afirmou Rezende ao JORNAL DO POVO.


O CASO

Féfin é acusado de agressão contra a enfermeira chefe do Pronto Atendimento da Zona Sul, Maria Angela Rodrigues, episódio ocorrido no começo e abril e que virou caso de polícia.

Aliás, este foi o motivo do pedido de adiamento da abertura da C.P. Marcos Rezende (PSD) e outros vereadores entendem que o desfecho das investigações policiais sobre o caso e decisão judicial podem nortear melhor os parlamentares na referida votação.

O relatório das investigaçções contra Féfin foi remetido na semana passada pela Delegacia Seccional de Polícia ao Fórum de Marília. São dezenas de páginas com depoimentos dos envolvidos, testemunhas e cópias de documentos e mídias digitais com gravações de áudios e filmagens sobre o caso.



69 visualizações0 comentário