Buscar
  • J. POVO- MARÍLIA

Servidores ocupam a Câmara contra as reformas e terceirização do Samu e P.A Sul


Trabalhadores tentam sensibilizar os vereadores para que rejeitem as reformas da Previdência

e Administrativa


Grupo de mais de 200 servidores municipais (segundo o Sindicato da categoria) esteve nesta segunda-feira na Câmara Municipal de Marília, para protestar e sensibilizar os parlamentares em relação aos projetos de reforma Administrativa e da Previdência. As propostas estão em tramitação no Legislativo, com a possibilidade de serem votadas na semana que vem. Trabalhadores que atuam no PA (Pronto Atendimento) da zona Sul também estiveram nas galerias, com faixa indicando o processo de terceirização do setor.

Funcionários começaram a chegar no Legislativo por volta das 18h, ocupando a parte superior das galerias, a sala Nasib Cury e a calçada da rua Bandeirante e avenida Sampaio Vidal. Com faixas destacando que as reformas vão trazer graves prejuízos, os trabalhadores pediram os vereadores que não aprovem as reformas, sem que sejam promovidas mudanças.

Entre os pontos destacados pelos servidores municipais, destaque para o fim de aposentadorias especiais, aumento da alíquota de contribuição, que pode passar de 11% para 14%, caso a reforma da Previdência seja aprovada.

A presidente eleita do Sindimmar (Sindicato dos Trabalhadores nos Serviços Públicos Municipais de Marília), Vanilda Gonçalves de Lima, ressaltou que as reformas vão tirar direitos dos trabalhadores e prejudicar o atendimento da população. “O processo de terceirização promover a precarização do serviço público. Algumas categorias estão sendo extintas e não vão mais existir no município”, relatou Vanilda.

Ela ressaltou que os servidores passaram por treinamento, qualificação e estão a vários anos atuando na saúde, na educação e outros setores. “A substituição deles por trabalhadores terceirizados vai comprometer a qualidade do serviço, além de tirar direitos e vagas de trabalho dos servidores”, apontou.

PREVIDÊNCIA

Sobre a reforma da Previdência, Vanilda destacou que haverá uma reunião presencial na próxima quarta-feira (27/10), na sede do Ipremm (Instituto de Previdência do Município de Marília), para tratar sobre o projeto em tramitação. “Vamos discutir a questão das alíquotas, a mudança no tempo de aposentadoria, que vai prejudicar muitos servidores e outras questões pontuais de alteração do projeto”, ressaltou.

A mobilização dos servidores na Câmara Municipal faz parte das medidas de mobilização que o Sindimmar está promovendo, no sentido de fazer com que os parlamentares entendam que as propostas de reformas não podem ser aprovadas da forma como estão. “Estamos conversando com os vereadores, para que estes projetos não sejam aprovados sem que sejam feitas as mudanças apontadas pelos trabalhadores”, ressaltou Vanilda.

109 visualizações0 comentário