top of page
Buscar
  • Foto do escritor J. POVO- MARÍLIA

Vereador Danilo da Saúde cobra providências sobre situação precária do SAMU em Marília


Requerimento do vereador Danilo da Saúde (PSB), aprovado na sessão camarária desta segunda-feira (26), pede à Prefeitura de Marília providências urgentes sobre situação precária enfrentada pelo SAMU em Marília.

Ele aprontou problemas como relaxo na manutenção de viaturas do Serviço, como teto com goteira, porta amarrada com barbante e pneus carecas.

"O SAMU é um Serviço de Urgência de extrema importância, com profissionais sérios e que atende toda a comunidade, dos mais humildes aos mais ricos, em casos de socorros por urgência e emergência de saúde ou acidentes de trânsito, domésticos e de trabalho. Um Serviço que precisa de condições adequadas para suas atividades", disse Danilo.

O vereador lembrou que em outros Requerimentos já havia questionado a precariedade da estrutura e condições inadequadas de profissionais do SAMU em Marília. O Serviço foi terceirizado no ano passado à Santa Casa de Chavantes (cidade com pouco mais de 12 mil habitantes a 110 quilômetros de Marília) por um contrato de cinco anos e elevados custos de cerca de R$ 12 milhões. O Serviço foi banalizado após essa nociva terceirização.

Danilo da Saúde apontou ainda a falta de uniformes para os trabalhadores do SAMU, inclusive de frio, falta de EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) e manutenção preventiva e corretiva das viaturas, além de alojamentos adequados (faltam camas e cobertores) para os trabalhadores que fazem plantões na sede do SAMU.

"Trabalhadores que passam mais de doze horas com macacões molhados por chuva por falta de uniformes e viaturas criando riscos para os profissionais e pacientes. O SAMU sempre foi considerado um serviço modelo e não podemos deixar que continue esta lastimável situação. A terceirização criou uma situação caótica no SAMU que vem piorando e isso não pode ser admitido", disse Danilo.

O parlamentar também pediu no Requerimento aprovado ontem cópias de notas fiscais sobre eventuais compras e investimentos no SAMU. "A Santa Casa de Chavantes nos informou em outras ocasiões que estava providenciando a correção de falhas e adequações, mas pelo que vemos, a situação é precária e alguém está mentindo nessas questões", afirmou Danilo, que se posicionou contra a terceirização do Serviço pela Prefeitura de Marília.







35 visualizações0 comentário
bottom of page