Buscar
  • J. POVO- MARÍLIA

Vereador Danilo da Saúde quer criação de comissão para garantir direitos dos funcionários do PSF


O vereador Danilo da Saúde (PSB), manifestou mais uma vez sua preocupação com o chamamento público do Programa Saúde da Família (PSF) e protocolou proposta para criação de uma comissão intersetorial para acompanhamento e garantia dos direitos dos trabalhadores.

Desde do início do seu trabalho na Câmara, ele apresentou diversos requerimentos e fez inúmeras cobranças pedindo providências e reafirmando seu compromisso com a defesa dos trabalhadores e da população.

“Por diversas ocasiões pedimos que a situação do PSF fosse tratada como prioridade, para não prejudicar o atendimento da população e garantir os empregos e direitos trabalhistas dos funcionários, o que não aconteceu . Desde o início sugerimos a criação de uma comissão intersetorial com participação dos funcionários, gestores, Câmara Municipal, Conselho de Saúde, sindicatos, representantes da população e Ministério Público para buscar o melhor caminho e acompanhar todo o andamento do chamamento público", explicou o vereador. "Caso contrário, tanto a população que é atendida, como os funcionários, terão prejuízos irreparáveis,” completou.

Segundo Danilo, foram apresentados na Câmara diversos requerimentos e pedidos em audiências públicas com o secretário municipal da Saúde, para que sejam adotadas todas as medidas necessárias para proteção dos trabalhadores e garantia do atendimento da população.

“No momento, estamos saindo de uma pandemia que fragilizou e desorganizou toda rede de saúde. Todos estão se recuperando, não foram mensuradas ainda todas as consequências e prejuízos que a Covid trouxe para os funcionários e para o sistema de saúde. Não sabemos por exemplo, se outros profissionais de serviços precisarão ser incluídos na rotina dos serviços de saúde. Portanto, é temerário fazer uma mudança desse porte no momento atual, mas devemos programá-la”, ressaltou Danilo.

Outro alerta feito pelo vereador se refere a redução de funcionários e a ausência de exigências com relação as garantias trabalhistas e política salarial nos PSFs, que são responsáveis pelo atendimento de mais de 50% da população mariliense.

“É inadmissível a redução de funcionários e de salários. A cidade está crescendo e as demandas já não são atendidas. É preciso ampliar a cobertura da rede de saúde, garantir os empregos e valorizar os trabalhadores do setor. Eles deram exemplo de compromisso e dedicação nessa pandemia, mesmo sem a valorização e sem às condições adequadas. Muitos, inclusive, perderam familiares e outros a própria vida cuidando da população nesse momento difícil. É preciso reconhecer e retribuir isso, preservando os empregos e garantindo seus direitos”, concluiu o vereador.




87 visualizações0 comentário