Buscar
  • J. POVO- MARÍLIA

Vereador Nardi defende racionalidade e ajustes no projeto de reforma do Ipremm


Racionalidade. Este é o termo usado pelo vereador Luiz Nardi (Podemos) em relação ao Projeto de Lei que regulamenta a reforma do Ipremm (Instituto de Previdência do Município de Marília) que tramita na Câmara de Marilia.

O vereador ressalta a necessidade de se tratar a questão de forma racional, respeitando todas as opiniões, "Não se pode dizer que é contra o projeto, vota contra e acabou. O projeto está aí e as reformas na Previdência municipal são realmente necessárias. Ou se faz isso, com diálogo e ajustes, evidentemente, ou o Ipremm daqui a alguns anos se tornará insolvente, com sérios riscos, como de fato já existem, de insolvência total e extinção", afirmou Nardi.

"Não é o momento de se ficar jogando para a torcida, fazendo demagogia e ações irracionais que não levarão a nada. Trata-se do futuro dos servidores municipais que vão se aposentar e isso é sério", ressaltou.

O vereador lembrou das reuniões que vêm sendo realizadas pela Prefeitura com representantes dos servidores e vereadores. "Muitas propostas surgindo. O projeto necessita de ajustes e aperfeiçoamentos? Evidente que sim! Mas esses ajustes só poderão ser colocados em pauta com a aprovação do projeto original, para que os vereadores possam, em seguida, apreciar e votar as emendas necessárias", explicou.

Nardi afirmou que os servidores municipais não têm nenhuma culpa sobre a caótica situação atual do Ipremm. O Instituto foi criado em 1991 com 99% de apoio dos servidores à época.

"Os responsáveis pela quebra do Ipremm, ou irresponsáveis por esta situação, devem sim responder por seus atos no Ministério Público e na Justiça. O servidores, repito, não têm culpa nenhuma nisso. Estão sofrendo com a situação e precisamos encontrar o melhor caminho dentro da legalidade para evitar o agravamento desse problema. Isso com a participação dos próprios servidores", finalizou Nardi.




56 visualizações0 comentário