Bauru aperta o cerco contra doações fajutas de áreas. Em Marília, segue a baderna e enganações

June 7, 2017

        Ex-prefeito Vinícius e o secretário Cassinho nas doações de áreas à Harald Chocolates e à RCG: tudo enganação!

 

Enquanto em Marília a questão de parte das áreas doadas pela Prefeitura à empresas em distritos industriais virou uma lambança com muitas delas sem nenhuma ocupação, em Bauru a Câmara Municipal decidiu agir nesse sentido e já mudou e criou regras mais rigorosas para doações e acompanhamento de ocupação de área doadas à empresas naquela cidade.

Ainda nesse sentido, a Sedecon (Secretaria de Desenvolvimento Econômico Bauru) já prepara medidas para retomar áreas não ocupadas após doações. "Vamos atacar a "espinhosa ação de retomada de áreas. Temos muitas áreas ociosas e que precisam voltar para o estoque público. Esse é um vespeiro que vamos mexer e que vai causar reações. Mas é preciso enfrentar esse problema", disse a secretária da Pasta, Aline Fogolin.

Em Bauru o Ministério Público Estadual também agiu e instaurou um Inquérito Civil para apurar a fragilidade nas doações de áreas à empresas pela Prefeitura daquela cidade.

BADERNA EM MARÍLIA

Há longos anos, Marília vive uma baderna com doações de áreas pela Prefeitura. Nos casos mais notórios, no Distrito Industrial de Lácio, por exemplo, mais de 140 mil metros quadrados de áreas foram doados à duas empresas e uma empreendimento tecnológico. Os termos de doações foram homologados de 2012 a 2014, mas nada foi feito no local. O Distrito Industrial de Lácio fica numa área considerada nobre da cidade.

INSTITUTO FEDERAL E RCG: TUDO BALELA!

Mais de 66 mil metros quadrados fora doados para a instalação do IFSP (Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Estado de São Paulo). Isso em 2012, no mandato-tampão de Ticiano Tóffoli. Tudo balela.

Em novembro de 2014, a Prefeitura anunciou a vinda da RCG de Garça para Marília. A empresa (que fabrica luminárias de LED, reatores e outros produtos do segmento), ganhou uma área de 12 mil metros quadrados no Distrito Industrial de Lácio e prometia a criação de 350 novos empregos. O secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo na na época, Cássio Luiz Pinto Júnior, enalteceu a dedicação do prefeito Vinicius para a conquista da indústria para a cidade. “Ele não mediu esforços e a RCG em Marília já é uma realidade”, disse Cassinho, que continua como secretário na mesma Pasta no atual governo de Daniel Alonso..Tudo politicagem e enganação! Além de não vir para Marília, a RGC ainda passou a atrasar salários e este ano demitiu uma leva de funcionários, em Garça.

HARALD TAMBÉM NÃO VIROU NADA

Em julho de 2015, a Prefeitura efetivou a doação de uma área de 50 mil metros quadrados à Empresa Harald Chocolates. As "solenidades" aconteceram em festança num hotel na área central da cidade.

No mesmo ano a empresa foi comprada pela  multinacional japonesa Fuji Oil, dos segmentos de óleos e alimentos. “Estamos realizando um sonho. Conquistamos mais essa grande indústria para Marília, num momento muito complicado da economia brasileira. Com a Harald e Fuji Oil, duas mega empresas, vamos ter mais empregos empregos e novas tecnologias. Além disso, abre-se uma grande perspectiva para mais empreendimentos japoneses e de outros países na nossa cidade”, disse o então prefeito Vinicius, na época. A expectativa era gerar mais de duzentos novos empregos. Balela! Até hoje a empresa não colocou um tijolo sequer na imensa área que recebeu da prefeitura.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

WHATSAPP DO JORNAL DO POVO PARA ENVIO DE SUGESTÕES, FOTOS OU VÍDEOS
99797-5612 
99797-3003
Siga "JP POVO"
  • Facebook Basic Black
  • Twitter Basic Black
  • Google+ Basic Black