Jovem denuncia agressões e mensagens de solidariedade viralizam no Facebook

June 19, 2017

 

 

 

 

        Patrícia postou seu desabafo e cópias de mensagens em sua página no Facebook (Fotos: reprodução Facebook) 

 

Após relatar caso de violência doméstica na rede social Facebook, a modelo fotográfica mariliense Patrícia Gabriele de Almeida, 19 anos, recebeu intenso apoio de internautas e a postagem gerou quase 15 mil compartilhamentos e mensagens de solidariedade. As agressões verbais, virtuais e físicas, segunda ela, começaram na madrugada de domingo, quando seu namorado começou a enviar mensagens agressivas pelo Whatsapp. Ela estava em uma festa numa chácara.

Ao retornar para sua casa, na Avenida República, foi agredida fisicamente pelo acusado, que estava em frente a residência. Ela relatou ter sofrido socos na cabeça, chutes, tapas no rosto, puxões de cabelo e xingamentos como "lixo, puta, vagabunda". Patrícia estava namorando o sujeito há quatro meses.

 

 

VEJA O QUE RELATOU A JOVEM NO FACEBOOK

 

https://www.facebook.com/profile.php?id=100004878300320

 

1 de Fevereiro de 2017. Patricia,modelo fotográfica,feminista,rodeada de amigas e de uma família que a amava. Uma menina completamente feliz! 12 de Fevereiro de 2017,o dia que eu começo a morrer. Conheço o “amor da minha vida” um cara que se dizia ser parecido comigo falava muito em Deus e sempre dizendo que tinha uma Alma bonita,era meu ser de luz que tanto esperei. Ele tinha perdido a mãe recentemente e eu também estava em uma fase da minha vida que precisava de um Porto Seguro,apesar de ser rodeada de pessoas ainda assim me sentia sozinha. 28 de Fevereiro de 2017,ele me pede em namoro e eu me lembro de cada detalhe “Pode confiar em me amar,eu nunca vou te machucar! Você vai ser minha mulher mas sempre vou te respeitar como se fosse minha filha.” Apesar de já ter vivido experiências negativas em relacionamentos anteriores resolvi me dar uma nova chance de ser feliz,aceitei. Meu Deus como eu estava feliz,era a minha vez de ser feliz? Finalmente tinha chego a minha vez? Me lembro de olhar ele dormindo algumas vezes e agradecer a Deus. Eu não me sentia mais sozinha,eu não estava mais em festas no meio de tanta gente vazia. Ele era meu lar,meu Porto Seguro pra onde eu corria quando o mundo pesava e deitada no peito dele tudo ficava mais leve. Muitas pessoas chegaram até mim perguntando “Pq ele?” Um ano sozinha,tanto carinha que passou pela minha vida,tanto carinha interessante e que eu sequer pensei em ter algo. E minha resposta era sempre a mesma “Eu não amo por dinheiro beleza ou status,eu o amo pq ele tem um coração bom.” Primeira semana de namoro ele disse que não queria mais que eu fizesse trabalhos como modelo,eu entendi afinal eram fotos sensuais e não seria legal mesmo um monte de cara vendo,curtindo e comentando. Aquilo nem acrescentava muito na minha vida,eu não ia perder o amor da minha vida por isso né? Cheguei a apagar alguns trabalhos já feitos e passei a dispensar todos que me chamavam pra fazer. Ele também não queria mais que eu curtisse fotos de amigos,muitas vezes brigava comigo até por curtir fotos de amigos gays. Tudo bem,eu não ia curtir mais nada e por um tempo cheguei até a desativar meu Facebook pois era esse o motivo de quase todas as brigas. Todas as festas que íamos juntos ele ficava de cara fechada dizendo que lá tinha caras que eu já tinha ficado e a gente acabava indo embora mais cedo,eu não me importava pois quando estávamos sozinhos ele era a pessoa carinhosa por quem me apaixonei. Então teve uma festa que fomos e ele ficou de cara fechada e eu perguntei o pq dele tá daquele jeito,ele me respondeu que eu e minha amiga só falava de macho que nós duas éramos putas (minha amiga tinha comentado dentro do carro sobre um menino que ela queria ficar) depois disso ele me disse que eu não parava de olhar para homens que estavam na festa me chamou de lixo e perguntou se eu queria dar pra algum daqueles caras que eu estava olhando! Eu fiquei sem chão,será que eu tinha feito algo de errado mesmo? Será que encarei alguém e deu a perceber que estava interessada? Pq meu amor estava falando daquele jeito comigo? Fomos embora,chorei dentro do carro com a Alma e pela primeira vez pensei em desistir daquilo. Fiquei em casa e ele foi pra casa dele,no outro dia me mandou mensagens pedindo perdão “eu falo isso tudo na hora da raiva,mas eu sei que você vale ouro.” Jurou que aquilo nunca mais ia acontecer! No próximo final de semana outra festa,dessa vez no dia do meu aniversário e o filme se repetiu. No outro dia? A mesma coisa! E claro que perdoei,aquele ciúmes todo devia ser amor. As crises de ciúmes foram piorando,chegou em um ponto que eu que sempre acreditei que o amor tinha que ser leve tava me tornando uma pessoa igual a ele,ciumenta e possessiva. Queria prender ele na mesma jaula que ele tava me prendendo pra ele conhecer a sensação. E as coisas só foram piorando,ele me chamava de puta,de lixo,pra ele eu queria transar com todos os caras do mundo. E eu ficava me perguntando o pq daquilo,será que era algo que eu fiz ou falaram pra ele achar essas coisas de mim? Me torturava todo santo dia com isso. As discussões foram piorando e além dos xingamentos ele também passou a me chacoalhar e uma vez tacou meu celular em mim depois de ver mensagens do cara que era meu fotógrafo me chamando pra fazer umas fotos e nem eram fotos sensuais. Depois a raiva passava e ele voltava a ser aquele anjo que me dava carinho e cuidava de mim,uma vez perguntei se ele teria coragem de me agredir fisicamente e ele disse que não,nunca! Cada dia que passava ele me machucava mais e eu me apegava mais a ele. Ele terminava comigo todo final de semana e eu corria atrás me humilhava praticamente,implorava pra ele não ir em festas e nem ficar com outras pessoas “não estraga tudo por favor” foi uma das frases mais ditas por mim no nosso relacionamento. Ele me machucava e agora nem se dava ao trabalho de pedir desculpas mais,aliás muitas vezes eu quem pedia. De tanto ouvir que eu era um lixo,comecei a acreditar e a me sentir um. Às vezes sozinha parava pra pensar na minha vida e chorava,só conseguia pensar o quanto a Patricia de um ano atrás sentiria vergonha de mim,o quanto minha vó que morreu sofrendo na mão de um homem abusivo tava decepcionada comigo,o quanto que meu pai sofreria se sonhasse que aquela menininha que ele sempre tratou como uma jóia rara tava aceitando ser tratada daquela forma. Mas eu amava ele,e é tão difícil pra mim conseguir amar alguém,é tão difícil encontrar alguém pra amar principalmente nos dias de hoje “eu não vou desistir.” Outro final de semana,passamos a sexta juntos e no sábado do nada sem mais nem menos ele terminou comigo. Mandei mil mensagens me humilhando como já era de costume,implorando pra ele não sair da minha vida,não me deixar sozinha. Sozinha,chegou em um ponto que eu já não enxergava todas as pessoas que me amavam a minha volta,já não me sentia bonita e nem a mulher foda que batalhei tanto pra ser. Depois de mil mensagens não respondidas eu liguei pra ele nesse dia,um amigo dele atendeu e eles estavam em uma festa. Jurei pra mim mesma desistir depois disso,minhas amigas que já tinham percebido que eu estava em um relacionamento abusivo me dando todo o apoio mas depois de uma semana cometi um dos maiores erros que já cometi nessa vida. Voltei com ele! Todo mundo foi contra,tentou abrir meu olho mas eu só queria dar mais uma chance,eu só queria ser feliz. Não importava Oq eu fizesse ele tava sempre infeliz comigo,tudo que eu fazia não era o bastante eu não era o bastante,nunca. Uma semana depois da nossa volta ele terminou comigo,mais uma vez sem motivos,dessa vez pela última vez. Passei uma semana implorando pra ir na casa dele para que conversássemos e tentássemos se resolver,na sexta dia 16 passei o dia mandando mensagens pra ele perguntando se anoite eu podia ir na casa dele pra gente conversar e ele só respondia “segue sua vida,acabou.” Sexta a noite uma amiga me chama pra sair eu saio,quando tô no rolê recebo uma mensagem sendo chamada de prostituta e dizendo que eu não valia nada,só pq fiz Oq ele mandou que era tentar seguir minha vida. Sábado dia 17 ia ter outra festa e passei o dia todo pedindo pra ele pra que não fossemos nessa festa que a gente se visse a noite pra conversar,mais uma vez a resposta foi “acabou segue sua vida,puta,lixo…” não insisti mais,fui pra festa com minha amiga e chegando ele estava lá também. Fiquei na minha com minhas amigas tentando ignorar a presença dele e pensando comigo mesmo como eu queria voltar a ser a Patricia de antes,que dançava,beijava e ria feito uma louca a noite toda. Quando olho pro celular mensagens dele com os xingamentos de sempre e amaçando de me bater e bater em quem “eu tava dando” eu tava com minhas amigas,só se eu tivesse dando para minhas amigas. Me deu um nó na garganta me embrulhou o estômago e parecia que eu ia passar mal,fui embora. Chegando em casa respondi às mensagens dele e como ele sabia que podia usar sempre oq eu sentia por ele que toda vez eu estaria lá,eu voltaria,eu lutaria… Ele disse que ia me buscar em casa,eu nem precisava responder já imaginei a gente conversando se resolvendo e eu iria ser chamada de amor por mais um tempinho ao invés de “Puta,lixo…” a vontade de ser feliz com alguém e amada foi maior que tudo que eu defendia e acreditava! Burra,burra,burra!!! 
Entrei no carro,não era o cara que eu me apaixonei que tava lá dentro se o demônio tivesse uma face,aquela seria. Entrei em silêncio até que ele começou a falar que eu tinha pego não sei quem na festa gritar que eu era uma puta e eu tentando me explicar e nessa hora um sentimento de medo já começou a aparecer. Meu Deus eu tava sentindo medo do cara que eu amava! Quase chegando na casa dele ainda dentro do carro eu disse que se eu fosse tão puta como ele dizia talvez ele desse mais valor em mim,perguntei mais uma vez uma coisa que eu perguntava sempre que era “Oq eu fiz pra você ter tanto ódio de mim?” Essa pergunta ainda tá dentro de mim! Ele gritou que eu era puta!!! Até que eu disse que na sexta a noite tinha conhecido um amigo de infância dele,e era pra ele perguntar pra esse amigo o quanto eu passei horas falando sobre ele e até pedindo conselhos. Foi nessa hora que ele se transformou,gritou que eu era uma puta e que tava de idéia com amigo dele. Parou o carro me pegou pelo cabelo e começou a dar tapas e socos no meu rosto. Eu só conseguia chorar e gritar pra ele parar,eu não conseguia acreditar que aquilo tava me acontecendo,meu pai nunca me deu um tapa e um cara que me conhecia a três meses tava fazendo aquilo. Eu só queria acordar e que fosse um pesadelo,mas não acordei! Ele parou e saiu com o carro,foi pra casa dele e na garagem me mandou descer e me puxou pelo braço até lá dentro. Eu tava sem chão,tendo uma crise de choro com um sentimento dentro de mim que nunca senti na minha vida. Aí veio mais tapas no rosto a voz que me disse a alguns meses atrás que nunca faria nada pra me machucar gritava “Puta eu trato assim,puta tem que apanhar” até que ele me jogou na cama e apertou meu pescoço com as mãos. Naquela hora eu ia virar uma estatística,mais uma das milhares de mulheres agredidas e mortas todos os dias pelo próprio companheiro. A Patricia,igual a Maria,a Tereza,a Rafaela… Ele me soltou,agora eu tô em casa nem lembro como cheguei aqui,tava sem chão parecia que minha Alma tinha saído do meu corpo e tava olhando tudo aquilo de longe. Eu queria acreditar que aquilo não tava acontecendo! Entrei em casa e vi meu pai,tive vergonha de olhar no rosto dele. Eu o decepcionei tanto! Entrei pro meu quarto de cabeça baixa e aqui estou a horas,lembrando daquela menina de 3 meses atrás,pensando se um dia volto a ser ela ou até melhor. Agora eu tô morta,os puxões de cabelo,os tapas,os socos nada disso machucou tanto como machucou minha Alma. Tô me sentindo suja e culpada,culpada por ter deixado chegar a esse ponto,culpada por ter amado uma pessoa com uma Alma tão podre. Buscando forças dentro de mim pra sair do quarto e contar para os meus pais oq me aconteceu. Eles já aviam me alertado! Tô me sentindo envergonhada,suja e ao mesmo tempo tô aliviada. Poderia ter sido pior! Deus da uns livramentos pra gente que a gente fica até sem saber como agradecer. Tô repetindo pra mim mesma “Resiliência moça” você vai reviver vai voltar a ser Oq era ou até melhor!!!
Eu não quero que nenhuma mulher passe pelo que eu passei. Moças parem de ver atitudes abusivas como normais,só tem tendência a piorar e piorar e chegar no que cheguei ou até pior… Se te faz chorar mais do que sorrir não é amor,amor é leve amor é bom amor não dói não machuca. Força pra mim me reerguer e força pra todas as mulheres que já passaram ou estão passando por isso!

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

WHATSAPP DO JORNAL DO POVO PARA ENVIO DE SUGESTÕES, FOTOS OU VÍDEOS
99797-5612 
99797-3003
Siga "JP POVO"
  • Facebook Basic Black
  • Twitter Basic Black
  • Google+ Basic Black
  • Facebook - White Circle
  • Tumblr - White Circle
  • Twitter - White Circle

© 2017 por "JP. Povo