Processo que investiga Daniel e Tato por crime eleitoral tem nova audiência, hoje. Prefeito aponta perseguição política

June 30, 2017

                                                         Daniel e Tato: ação na Justiça Eleitoral

 

Está marcada para a manhã desta sexta-feira (30), mais uma audiência na 2ª Vara Criminal do Fórum de Marília, na Ação da Justiça Eleitoral que investiga o prefeito Daniel Alonso (PSDB) e o vice-prefeito Antonio Augusto Ambrósio, o Tato (PMDB), por supostos crimes nas eleições de 2016.

O juiz eleitoral, Doutor Luiz Augusto Esteves de Mello, Juiz Eleitoral da 70ª Zona Eleitoral de Marília/SP, acatou ação foi impetrada no período das eleições pela Coligação “Avança Marília”, que teve o ex-prefeito Vinícius Camarinha (PSB) como candidato à reeleição e foi derrotado por Daniel Alonso.

APLICÁVEL NO CASO DE CASSAÇÃO

O magistrado rejeitou todas as contestações feitas pela defesa dos réus. “A alegação dos réus, no sentido de que a petição inicial seja inepta, não merece prosperar, tendo em vista que a inicial preenche todos os requisitos… As consequências geradas pelas condutas imputadas na demanda, estão estabelecidas em lei e independem de requerimento das partes, sendo aplicável no caso de cassação de registro ou diploma o estabelecido no artigo 224, § 3º do Código Eleitoral”, cita o juiz no despacho.

OFENSAS E ATAQUES

No autos, foram juntadas mídias, CDs, publicações feitas em jornal e áudios veiculados em emissoras de rádios, com ofensas e ataques ao candidato autor da ação. Além do prefeito e do vice, diversos assessores atuais e colaboradores da campanha também figuram como réus na ação, entre eles o humorista Jhonatan Nemer.

Recentemente, a defesa da do prefeito e do vice pediu para incluir documentos nos autos do processo. O pedido foi rejeitado pelo juiz, que despachou: "A parte teve a oportunidade para instruir a defesa com os documentos necessários à comprovação de sua tese.Não há qualquer indicativo de que se trate de documentos, que a parte não dispunha no momento que apresentou sua defesa em juízo. Não são documentos novos, de modo que ocorreu a preclusão temporal".

PERSEGUIÇÃO POLÍTICA

O prefeito Daniel Alonso diz que a ação promovida pelo ex-prefeito Vinícius Camarinha é mera perseguição eleitoral. "Não se conformam com o resultado das urnas. O povo nos elegeu e a nossa campanha foi limpa, com propostas. Os derrotados deviam entender e aceitar que a população de Marília optou por mudanças nas eleições passadas e nos deu a vitória. Respeitamos o trabalho da Justiça, que está apurando as denúncias, mas temos certeza que será comprovado que é tudo fruto de perseguição e frustração política de nossos adversários, políticos profissionais e conhecidos por essas práticas. Estamos tranquilos e seguimos cumprindo nosso mandato e trabalhando pela cidade", afirmou Daniel Alonso.

 

 

 

 

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

WHATSAPP DO JORNAL DO POVO PARA ENVIO DE SUGESTÕES, FOTOS OU VÍDEOS
99797-5612 
99797-3003
Siga "JP POVO"
  • Facebook Basic Black
  • Twitter Basic Black
  • Google+ Basic Black