Mulheres que aplicaram o "golpe da recompensa" em Marília podem ter agido em Lins. Vítimas pelo interior do Estado

September 1, 2017

 

As duas mulheres que aplicaram o famoso "golpe da recompensa" e levaram R$ 1 mil de uma mulher de 39 anos na área central de Marília, na tarde de ontem (31), podem ser as mesmas que agiram em Lins (70 km de Marília) e lesaram da mesma forma na tarde de hoje (1°) uma idosa de 66 anos, da qual levaram R$ 830 em dinheiro, além de cartões bancários e aparelho celular.

De acordo com informações do delegado da DIG de Lins, Dr. João Pandolfi, as estelionatários perceberam que a mulher havia sacado dinheiro no banco e a seguiram no centro da cidade até por em prática o golpe.

O golpe se deu da seguinte maneira: uma das estelionatárias deixou cair uma bolsa com um valor alto, visando chamar atenção da vítima.

Uma segunda estelionatária se aproxima da vítima e diz que também viu o acontecido e convence a vítima que os dois juntos devem devolver a bolsa com o dinheiro.

Neste momento, a estelionatária "descuidada" se diz agradecida e oferece uma recompensa a vítima e ao sua comparsa, dizendo que iria dar um par de sapatos as duas.

A comparsa deixa sua bolsa com a vítima e vai retirar sua recompensa, ou seja, voltou com uma caixa de sapato. Interessada, a vítima também deixou sua bolsa com seus pertences e foi retirar sua recompensa, quando então percebeu que foi enganada, já que não havia a tal loja para retirar os sapatos. Ao retornar no local em que deixou sua bolsa não encontrou mais as duas golpistas e percebeu então que foi enganada. 

O CASO DO GOLPE  EM MARÍLIA

Uma mulher caiu no famoso golpe da recompensa, na área central de Marília e perdeu R$ 1.085,00. Por volta das 13h30 desta quinta-feira (31), Simone dos Santos, de 39 anos, sacou a aposentadoria de sua mãe em uma agência bancária na Avenida Sampaio Vidal e caminhava pela Avenida Tancredo Neves, quando foi abordada por uma mulher de cerca de 30 anos, que lhe mostrou uma carteira, disse que tinha achado e perguntou se era dela.

Ao mesmo instante que Simone disse não ser sua a carteira, surgiu uma outra mulher, aparentando uns 55 anos, bem vestida e disse que que a carteira era sua.

Segundo relatos de Simone, a mulher bem vestida agradeceu muito às duas e disse que havia R$ 10 mil na carteira, que ela usaria para pagar os funcionários de sua loja de calçados. A "dona da carteira" ofereceu à comparsa e à Simone uma recompensa pelo encontro da carteira. Cada uma delas receberia uma recompensa. A comparsa poderia buscar um sapato que desejasse na loja de calçados de sua propriedade.

A golpista anotou o endereço da suposta loja em um cartão e entregou á comparsa, para que ela pudesse buscar o sapato de brinde. No caso de Simone, disse que ela poderia buscar uma quantia em dinheiro num estacionamento localizado na Rua XV de Novembro, mas exigiu que ela (Simone) deixasse, como garantia, a bolsa que carregava. Simone deixou com as golpistas a bolsa com seus documentos pessoais, documentos e cartões bancários de sua mãe e os R$ 1.085 que haviam sido sacados no banco.

Simone foi até o estacionamento indicado pela golpista, mas não encontrou nada. Ao retornar ao local onde havia ficado as larápias com sua bolsa, não encontrou mais ninguém. Ao cair na real e descobrir que havia sido vítima do golpe da recompensa, Simone acionou a Polícia Militar, que fez rondas pela área central da cidade, mas não localizou as golpistas.

GOLPE EM SÃO CARLOS

Recentemente, uma idosa de 67 anos caiu em um golpe aplicado por um casal, no centro de São Carlos. Ela perdeu R$ 1.313,00 referente a aposentadoria do marido.

Após ser lesada, a mulher acionou a Polícia Militar e afirmou que saiu da Caixa Econômica Federal (CEF) e uma mulher saiu logo atrás afirmando que achou documentos, R$ 50 e um talão de cheque e perguntou se era dela.

Após negar, surgiu um homem que assumiu a posse do dinheiro e dos documentos. Em gratidão, pediu para que ambas fossem com ele até a Praça Coronel Salles, pois iria até o estabelecimento do seu pai e daria R$ 100 e um par de sapatos para cada.

Na praça, a golpista disse que iria primeiro. O rapaz então pediu que ela deixasse sua bolsa. Minutos depois retornou com o dinheiro e o sapato.

Em seguida a vítima fez o mesmo procedimento e deixou sua bolsa, porém não encontrou a suposta loja. Na volta, o casal havia sumido e levaram R$ 1.313,00, um celular e um cartão de um estabelecimento comercial.

Posteriormente acionou a PM, relatou o golpe e formulou boletim de ocorrência.

EM BAURU, IDOSO ESCAPOU DE GOLPE

Um aposentado de 72 anos, morador de Bauru, escapou de entrar para as estatísticas e ser mais uma vítima do golpe do bilhete premiado graças à ação dos bancários da agência onde mantém sua conta. Ele tentou sacar R$ 10 mil no caixa para entregar a dois estelionatários que o convenceram a comprar um bilhete falsificado com prêmio de R$ 2 milhões, por volta das 14h desta quinta-feira (31).

O idoso saía de um supermercado com sacolas quando foi abordado por um homem, que se ofereceu para carregar as compras.

Em seguida, o estelionatário mostrou o bilhete, disse que era premiado em R$ 2 milhões, mas que, como estava precisando de dinheiro urgente, venderia por R$ 10 mil.

A vítima aceitou e foi com o homem de carro até a sua casa para guardar as compras. No trajeto, um outro bandido entrou no veículo. 

Os dois estelionatários levaram o aposentado até o banco e ficaram aguardando do lado de fora. Na hora de sacar o dinheiro, o caixa desconfiou e questionou o aposentado. Os bancários também telefonaram para a filha dele e todos concluíram que se tratava de um golpe.

Os funcionários do banco ainda acompanharam a vítima até o lado de fora da agência na tentativa de encontrar os estelionatários, mas eles já tinham fugido. 

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

WHATSAPP DO JORNAL DO POVO PARA ENVIO DE SUGESTÕES, FOTOS OU VÍDEOS
99797-5612 
99797-3003
Siga "JP POVO"
  • Facebook Basic Black
  • Twitter Basic Black
  • Google+ Basic Black