Associações de Moradores coletam assinaturas contra aumento de tarifas de ônibus em Marília

November 6, 2017

As banquinhas de coleta de assinaturas da população, que eram frequentes nas gestões de Mário Bulgareli e Vinícius Camarinha, voltaram à região do Terminal Rodoviário Urbano. Desta vez, para coletar assinaturas contra o possível aumento de tarifas das empresas de ônibus Grande Marília e Sorriso de Marília, que querem reajuste de R$ 3 para R$ 3,70.

Organizada pelas associações de moradores A-Socianorte  (da Zona Norte), que tem como presidente Altair Vieira, Sociasul (da Zona Sul), que tem como presidente Helena Damacena e Associação de Moradores da Vila São Miguel, comandada por Tereza Machado, a campanha de coleta de assinaturas será iniciada na tarde desta segunda-feira (6). Os ativistas Nelson Alves e Regina Muller também organizam o movimento. Em outras regiões da cidade, assinaturas com esta finalidade já foram coletadas neste final de semana.

REUNIÃO DO SAF

O SAF (Sistema Auxiliar de Fiscalização do Transporte Coletivo Urbano de Marília), se reunirá no próximo dia 13 de novembro (uma segunda-feira).  O presidente do SAF (e da Emdurb), Valdeci Fogaça de Oliveira, disse ao JP que o encontro foi adiado na semana passada em função das chuvas, que atrapalharam o deslocamento dos integrantes do Sistema e principalmente a necessidade de uma prazo maior para análises de pauta da reunião. 

O órgão analisa diversas questões e demandas do setor, inclusive, planilhas e relatórios das empresas de ônibus urbanos sobre pedidos de aumentos de tarifas. O SAF emite parecer, mas não define índice de reajustes de tarifas. Isso cabe exclusivamente ao prefeito, Daniel Alonso.

Há vários meses as empresas Grande Marília e Sorriso de Marília vêm solicitando reajuste das tarifas de R$ 3 para R$ 3,70. 

A primeira reunião do Sistema ocorreu no último dia 11, no auditório do segundo andar da Prefeitura e durou cerca de duas horas e meia. O engenheiro de Trânsito da Emdurb, Rogério Antonio Alves, integrante do SAF que participou daquela reunião, disse  ao JP que a questão das tarifas foi mencionada na pauta do encontro, mas não ficou nada definido.

"Falamos sobre o reequilíbrio econômico das empresas, mas não foi aprofundado este assunto", explicou. Documentos e planilhas da empresas foram apresentados e discutidos naquela reunião.

EMPRESAS PRESSIONAM

Há cerca de quatro meses as empresas de ônibus Grande Marília e Sorriso de Marília, que formam a AMTU (Associação mariliense de Transporte Urbano) vêm pressionando o prefeito Daniel Alonso (PSDB) para que o mesmo autorize reajuste no preço das tarifas. Como dividem o monopólio na cidade, as duas empresas cobram o mesmo preço nas passagens: R$ 3.  

ÚLTIMOS REAJUSTES

Os últimos aumentos no valor da passagem de ônibus em Marília ocorreram no intervalo de menos de um ano, em 2015. As tarifas passaram de R$ 2,15 para R$ 2,50 e de R$ 2,85 para R$ 3. Reajuste acumulado de R$ 0,50 com índice de 19%.

Em 2016, como era ano eleitoral, para evitar desgaste político e popular, o então prefeito Vinícius criou uma manobra para evitar o reajuste direto nas tarifas e concedeu isenção do pagamento de ISSQN (o popular ISS) para as empresas de ônibus. Como não foi previsto o impacto que esse grande privilégio às empresas causaria aos cofres públicos, a medida está sendo investigada. 

DEMANDAS

Entre os problemas e reclamações analisados pelo Sistema, esteve a questão dos atrasos e ônibus lotados nos novos núcleos habitacionais na região do Distrito de Padre Nóbrega. "Uma das sugestões apontadas foi a criação de linhas exclusivas para aqueles núcleos, independente do Distrito", disse o engenheiro.

Outra questão discutida foi a abertura do Terminal Rodoviário Urbano. Rogério descartou a possibilidade do espaço ser fechado, novamente. "O objetivo com a abertura foi acelerar o processo de uso do cartão integração pelos usuários dos ônibus, o que facilita para os motoristas (cobradores foram retirados dos ônibus na gestão passada) e agiliza o tempo do tráfego dos coletivos", observou.

O engenheiro disse que  está sendo estudada a implantação de "pontões" na área central da cidade e nas regiões norte e sul. Tipo minis terminais e bolsões para três ou quatro ônibus, onde as linhas se cruzariam. "São questões que estão sendo estudadas, dependem de projetos viários e plano de mobilidade, mas este é o caminho a ser seguido", concluiu.

Esta foi a primeira reunião dos integrantes do SAF este ano e muitos novatos aproveitaram o encontro para conhecer os companheiros e o próprio Sistema. "Acho que estas reuniões deveriam acontecer a cada dois meses", disse Rogério, Os membros do SAF foram nomeados em Portaria publicada em agosto passado.

Na reunião passada, também foi definida a diretoria do SAF que ficou composta da seguinte forma: presidente, Valdeci Fogaça (Emdurb). Vice-presidente, Alexandre Costa Santiago (Viação Sorriso). O 1º secretário é Domingos Caramaschi Júnior (Prefeitura) e o 2º secretário Rogério Antônio Alves (Emdurb). A reunião contou ainda com representantes do Gaoc (Grupo de Apoio e Orientação ao Trânsito e à Cidadania), das Centrais Sindicais, dos Diretórios Acadêmicos filiados à UNE (União Nacional dos Estudantes) e do Comdim (Conselho Municipal do Idoso de Marília).

 

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

WHATSAPP DO JORNAL DO POVO PARA ENVIO DE SUGESTÕES, FOTOS OU VÍDEOS
99797-5612 
99797-3003
Siga "JP POVO"
  • Facebook Basic Black
  • Twitter Basic Black
  • Google+ Basic Black