Racha após a reabertura: Rádios Clube e Itaipu já detonam o governo Daniel Alonso e falam em "pesadelo dos servidores"

December 13, 2017

A volta das Rádios Clube AM e da Itaipu FM ao ar, a partir desta segunda-feira (11), marcou a inversão de "postura" das emissoras em relação ao governo de Daniel Alonso (PSDB). Desde que as emissoras passaram a ser gerenciadas por Daniele Alonso, filha do prefeito, a partir de abril deste ano, o "Jornal da Clube", por exemplo, deixou de dar manchetes negativas sobre a administração municipal.

Detalhe: isso acontecia até abril, quando o comunicador Amarildo de Oliveira atuava como âncora do programa "Patrulha", dentro do horário do jornalismo, anunciando e comentando fatos negativos sobre a Prefeitura. Após o "arrendamento" das emissoras pela filha do prefeito, Amarildo acabou sendo "retirado do ar".

Durante os seis meses do "arrendamento", não se ouvia "notícias negativas" da Prefeitura. Manifestações e críticas de ouvintes também não iam ao ar. As reclamações ("demandas", como chamavam os comunicadores) eram gravadas e um comunicador, em seguida, procurava os respectivos setores da administração municipal para "explicar as soluções para os problemas". 

COMEÇOU O CHUMBO!!!

No dia 8 de setembro passado, por determinação da Justiça Federal, as Rádios Clube e Itaipu foram lacradas. Desde então foi travada uma guerra judicial, até que, durante uma audiência de conciliação na Justiça Federal, no último dia 30, a Justiça autorizou a reabertura das emissoras, mas sem a participação de Daniele Alonso. O MPF recorreu da decisão.

As rádios voltaram ao ar, de fato, nesta segunda-feira (11) e as primeiras edições do "Jornal da Clube" (em cadeia com a Itaipu FM) já mandaram chumbo na Prefeitura. O jornalismo fez a cobertura da greve dos servidores da Saúde e colocou no ar entrevistas com grevistas. 

Uma grevista disse: "achamos que com a mudança de governo este ano, ia haver melhorias, mas piorou! Se o primeiro ano de governo está assim, imagine os próximos". Ao apresentar a matéria, o repórter J. Júnior comentou que "os servidores da Saúde estão vivendo um pesadelo". Na edição desta quarta-feira, houve críticas "ao trânsito caótico da cidade".

DESABAFO DO COMUNICADOR

Ao comentar a greve dos trabalhadores da Saúde, o apresentador do "Jornal da Clube", Roberto Dias, disse: "a gente sabe o que é isso, ficar sem pagamento, sem 13°...nesta época do ano, Natal magro, sem poder pagar as contas...mas, graças a Deus, surgiram novos horizontes".

A Estúdio DM Ltda, de Daniele Alonso, ao arrendar as emissoras, em abril deste ano, assumiu também o passivo da empresa da ex-arrendatária das emissoras, Candelária Beato, que já estava inadimplente com depósitos de FGTS e outras dívidas, em relação aos cerca de 20 funcionários das Rádios.

Com a "saída" da DM e de Candelária das emissoras, por determinação judicial, apenas alguns funcionários que fizeram "acordo amigável" com a DM receberam salário e a primeira parcela do 13° salário. Quem não fez o tal "acordo" não recebeu nada desde que as emissoras foram lacradas e optaram pela rescisão indireta de trabalho para poderem  voltar a trabalhar nas emissoras.

O RACHA ENTRE A DONA DAS EMISSORAS E A FILHA DO PREFEITO

          Luciana Ferreira e Daniele Alonso: racha, caso de polícia e inversão de postura no jornalismo

 

A reabertura das Rádios Clube AM e Itaipu FM virou caso de polícia. Dois dias depois da Justiça Federal em Marília autorizar a volta das referidas emissoras ao ar, no sábado (2), por volta das 12 horas, representantes da empresa Estúdio DM Ltda (de propriedade de Daniele Alonso), estiveram na sede das emissoras, na Avenida Carlos Artencio.

Eles "conseguiram" abrir os portões e adentraram o prédio fotografando tudo. Em seguida, a proprietária das emissoras, Luciana Ferreira, chegou ao local acompanhada de algumas pessoas.

Como a DM está impedida pela Justiça Federal de atuar de qualquer forma nas emissoras, houve muita discussão entre as partes e a Polícia Militar foi acionada. Duas viaturas estiveram no local. Luciana Ferreira passou mal durante o entrevero e chegou a ser atendida por uma unidade do SAMU. 

Além desses rolos, existe a questão do pagamentos de multas de R$ 288 mil à Justiça Federal, pelas irregularidades no "arrendamento" das emissoras. Quem vai pagar essa fatura? 

DM X DIREÇÃO DAS RÁDIOS

Após a empresa Estúdio DM Ltda assumir a gerência das emissoras, em meados de abril deste ano, parte dos funcionários do grupo tiveram seus registros em Carteiras Profissionais assinados pela empresa (DM). As rádios foram lacradas pela Justiça Federal no dia 8 de setembro passado.

Como a decisão judicial que autorizou a reabertura das emissoras determinou que representantes da DM não atuem mais de forma alguma nas rádios, cerca de 20 funcionários e comunicadores das rádios teriam que ter seus contratos rescindidos.
Mas isso não aconteceu. Em parte porque representantes da DM anunciaram que a empresa não tinha dinheiro para fazer as rescisões. Apenas seriam liberados pequenos saldos de FGTS. 

Desta forma, vinculados à DM, esses profissionais ainda não podem atuar nas emissoras, inclusive alguns âncoras e apresentadores de programas. Por estas razões, as Rádios Clube AM e Itaipu FM, desde que foram liberadas pela Justiça Federal, só estão tocando músicas em suas programações.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

WHATSAPP DO JORNAL DO POVO PARA ENVIO DE SUGESTÕES, FOTOS OU VÍDEOS
99797-5612 
99797-3003
Siga "JP POVO"
  • Facebook Basic Black
  • Twitter Basic Black
  • Google+ Basic Black
  • Facebook - White Circle
  • Tumblr - White Circle
  • Twitter - White Circle

© 2017 por "JP. Povo