Zona Azul desativada, sem cartelas e sem fiscalização. Legionários sem salários e sem empregos. Emdurb cobra dívida e busca alternativa

February 1, 2018

gRUPO

                       Grupo de legionários junto ao Paço Municipal, hoje: todos sem emprego!

 

A Legião Mirim de Marília encerrou oficialmente as atividades nesta quinta-feira (1°). O detalhe é que cerca de 50 funcionários da entidade, entre eles 35 menores e adolescentes, não receberam os salários referentes a janeiro deste ano. O salário médio dos legionários é de R$ 1 mil. Eles vendiam cartelas nas áreas de Zona Azul no centro da cidade.

Na manhã de hoje, um grupo de ex-legionários esteve no Paço Municipal, protestando e tentando falar com o prefeito Daniel Alonso (PSDB) e assessores.

O presidente da Legião Mirim, entidade criada há mais de 50 anos, Francisco Samuel de Almeida, disse que "faltou vontade política" para evitar o fechamento do entidade. "A Legião foi criada visando o bem-estar dos adolescentes. Não somos contra a modernização, mas eles não poderiam ter ficado fora desse processo", disse Almeida em entrevista, referindo-se ao processo de digitalização que deve ser implantado pela Emdurb no setor de Zona Azul.

Segundo legionários, o presidente chegou na entidade nesta quarta-feira (31) e mandou fechar as portas. Não pagou ninguém e falou apenas que não havia dinheiro para pagar os salários dos funcionários. 

Há informações que a entidade pretende colocar imóveis à venda para saldar dívidas. 

Legionários disseram que estiveram ontem na Prefeitura, mas não conseguiram falar com ninguém e mandaram eles voltar nesta quinta-feira. Tudo em vão. Durante a presença do grupo de cerca de 20 ex-legionários no Paço Municipal, foram acionadas diversas viaturas da Policia Militar para monitorar o movimento deles. O grupo permaneceu cerca de 2h no local e se dispersou. 

SISTEMA ZONA AZUL DESATIVADO

               Zona Azul na manhã desta quinta-feira: sem venda de cartelas e sem fiscalização 

 

 Nesta quinta-feira, o sistema de estacionamento de Zona Azul está desativado. Não há venda de cartelas. Segundo o presidente da Emdurb, Valdeci Fogaça de Oliveira, os agentes do Gaoc não estão fazendo autuações por falta de cartelas na Zona Azul.

Fogaça disse ao JP que até o final da tarde desta quinta-feira deverá ser adotada medida para reativar o sistema de rotatividade no estacionamento abrangido pela Zona Azul.

"Estamos estudando a melhor alternativa", disse ele,admitindo a possibilidade de outras pessoas fazerem as vendas de cartelas do sistema.

DÍVIDAS DA LEGIÃO MIRIM COM A EMDURB

O presidente afirmou ao JP que a Legião Mirim deve entre R$ 150 mil a R$ 200 mil para a autarquia. O montante exato está sendo levantado pelo setor jurídico. São valores referentes a repasses da Legião pela venda de cartelas da Zona Azul, que custam R$ 1 (uma hora) e R$ 1,50 (duas horas).  A entidade fica com 80% do valor das vendas e deveria repassar 20% para a Emdurb.

"O último contrato referente a este convênio foi assinado em dezembro de 2016. Desde então, a Legião Mirim não repassou mais recursos à Emndur. Fizemos várias notificações nesse sentido, mas sempre alegaram dificuldades financeiras", explicou Fogaça.

O departamento jurídico da Emdurb está preparando uma interpelação judicial à Legião Mirim, pois a entidade alegava que deveria receber um percentual  maior que 80% com as vendas das cartelas. "NO contrato está estipulado 80% para a entidade. Vamos cobrar a dívida porque trata-se de dinheiro público", afirmou o diretor da Emdurb.

JP ANTECIPOU MUDANÇAS

Conforme divulgado com exclusividade pelo JP em novembro, a Emdurb está formalizando o processo de implantação do sistema digital na chamada área de Zona Azul. O JP antecipava que, com isso, cerca de 40 adolescentes que atuavam pelo convênio entre a Legião Mirim e a Emdurb, poderiam ser dispensados dos trabalhos de vendas de cartelas no referido setor.

A adoção do sistema digital pela autarquia está sendo adotada pela Emdurb após o término do convênio com a Legião Mirim de Marília, conforme correspondência encaminhada pelo presidente da Emdurb, Valdeci Fogaça de Oliveira, à Câmara Municipal.

O referido projeto que implanta o sistema digital na Zona Azul deve ser votado pela Câmara Municipal na segunda-feira (5). 

COMO FUNCIONA O SISTEMA DIGITAL?

Diversas cidades do país, especialmente capitais, já dotaram esse moderno e ágil sistema digital, pelo qual o pagamento da tarifa pelo uso de vagas da Zona Azul só pode ser feito por meio eletrônico, através de aplicativo ou com cartão digital. Com isso, perdem a validade os comprovantes de pagamento que atualmente precisam ser deixados dentro do carro estacionado.

Para fazer os pagamentos, é necessário instalar um aplicativo , com o cadastro da placa do carro e de um cartão de crédito. A outra opção poderá ser adquirir o Cartão Azul Digital em um dos pontos de venda cadastrados localizados em estabelecimentos comerciais.

Para saber passo a passo como utilizar e obter mais informações sobre a Zona Azul Digital e sobre os pontos de venda do cartão, há um canal digital direto com o órgão que administra o setor. O preço do cartão azul digital geralmente é o mesmo das cartelas.

 

 

 

 

 

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

WHATSAPP DO JORNAL DO POVO PARA ENVIO DE SUGESTÕES, FOTOS OU VÍDEOS
99797-5612 
99797-3003
Siga "JP POVO"
  • Facebook Basic Black
  • Twitter Basic Black
  • Google+ Basic Black