Prefeitura, agora, oferece 3% de reposição salarial e R$ 50 de aumento no Vale Alimentação. Servidores decidirão em nova assembleia

April 9, 2018

                                 Secretário Levi Gomes e o sindicalista Mauro Cirino

 

O presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Marília, Mauro Cirino, se reuniu na tarde desta segunda-feira (9), com o prefeito Daniel Alonso (PSDB) e o secretário municipal da Fazenda, Levi Gomes, para discutirem negociações de reajuste salarial da categoria. A reunião começou na sala do secretário (no quinto andar) e terminou no gabinete do prefeito (no segundo andar). 

O Sindicato iniciou as negociações pedindo 12% de reajuste e reposição salarial e R$ 480 de Vale Alimentação (hoje em R$ 250). A Prefeitura fez, na semana passada, uma contra proposta de 2% de reposição salarial e R$ 20 de aumento no Vale Alimentação.

Em assembleia do Sindicato, servidores municipais rejeitaram a contra proposta e mantiveram o estado de greve que havia sido iniciado na semana anterior.

"Para quem começou com nada de reajuste, foi para 2% e agora chegou nos 3%, além de mais R$ 30 de reajuste no Vale Alimentação, que somados aos R$ 20 propostos na semana passada passaria de R$ 260 para R$ 300, essa proposta de hoje melhorou", disse Cirino ao JP

O sindicalista comentou que o prefeito e Levi Gomes apontaram limite prudencial da Lei de Responsabilidade Fiscal sobre a folha de pagamento para não apresentar propostas melhores. "Enfim, é a parte deles", resumiu. Segundo ele, os gestores se comprometeram a colocar o Plano de Carreira dos Servidores em vigor a partir de janeiro de 2019.

O estado de greve dos servidores continua e nesta terça-feira (10), a partir das 18h, haverá nova assembleia da categoria no Espaço Cultural para discussão sobre as novas contra propostas da Prefeitura. 

APOSENTADOS

Mauro Cirino disse que foi apresentada ao prefeito Daniel Alonso e ao secretário Levi Gomes, proposta de concessão de vale alimentação aos aposentados e pensionista do Ipremm (Instituto de Previdência do Município de Marília), nos moldes de um cartão/saúde implantado para os juízes do Estado de Santa Catarina, com pagamento em dinheiro. 

Segundo Mauro Cirino, o secretário Levi Gomes ficou de analisar a juridicamente a sugestão. "Ele disse que irá ao  Tribunal de Contas para saber da legalidade desta concessão". 

O vale alimentação dos aposentados e pensionistas do Ipremm (de R$ 250) foi extinto pelo prefeito Daniel Alonso em maio do ano passado, provocando uma grande revolta dos inativos e viúvas. 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

WHATSAPP DO JORNAL DO POVO PARA ENVIO DE SUGESTÕES, FOTOS OU VÍDEOS
99797-5612 
99797-3003
Siga "JP POVO"
  • Facebook Basic Black
  • Twitter Basic Black
  • Google+ Basic Black