Segue preso o bando preso em flagrante por tráfico de drogas, na Zona Norte. Entre eles, está um ex-dirigente do PT

April 13, 2018

Nos próximos dias, o juiz da 2ª Vara Criminal do Fórum de Marília, José Augusto Franca Junior, deverá decidir pelo recebimento ou não da denúncia do Ministério Público contra cinco pessoas presas em flagrante na Zona Norte de Marília, acusadas de associação para o tráfico de drogas. O magistrado rejeitou pedidos de revogação de prisões preventivas, justificando que "o delito de tráfico de drogas é hediondo por equiparação (Lei Federal n.º 8.072/90). Ofende a saúde pública, um dos bens jurídicos mais importantes para a sociedade. É causa da ruína de milhares de pessoas e famílias, reclamando do Estado uma intervenção imediata e severa, com vistas ao afastamento do suspeito do convívio social".

O flagrante ocorreu no dia 9 de fevereiro, após o ocupante de uma motocicleta desobedecer uma ordem de parada de policiais rodoviários estaduais na Rodovia do Contorno.

Houve perseguição e, com apoio de viaturas da Polícia Militar, os elementos foram presos ao adentrarem uma casa no Jardim Renata, na Zona Norte da cidade.

No momento em que a polícia invadiu o imóvel, que funcionava como um laboratório de drogas, o bando estava desenterrando drogas no quintal. Os indivíduos estavam com parte da droga fora da terra e ao avistarem os policiais tentaram correr e pular um muro, mas foram detidos. Tinha até criança no local e a movimentação não chamava a atenção de vizinhos. 

ATÉ UM EX-DIRIGENTE DO PT

Foram presos em flagrante o metalúrgico Bruno Benedito Rodrigues Neves, 28 anos; o mecânico Wellisson de Souza Lima, 36 anos; o autônomo Maurício Fermino de Sá, sem idade informada e a balconista, Ana Cláudia dos Santos e Silva, 35 anos e Marcos Estigarribia da Silva, 40 anos, que foi ex-presidente do Partido dos Trabalhadores em AmambaÍ (no Mato Grosso do Sul). 

O comando do partido naquele Estado chegou a divulgar uma NOTA DE ESCLARECIMENTO:

"O Diretório Regional do Partido dos Trabalhadores de Mato Grosso do Sul vem a público esclarecer que Marcos Estigarribia da Silva, foi eleito presidente municipal do PT de Amambai em 2013, por meio do apoio do ex-senador Delcídio do Amaral e afastado e desfiliado do partido a pedido em 2015".

DROGAS POR TODA A CASA

Os policiais apreenderam 72 quilos de drogas, entre 56 tijolos de maconha e vários fragmentos menores que pesaram 62,6 quilos, mais nove tabletes de haxixe totalizando 8,9 quilos e 302 pinos com cocaína.

Conforme relato da equipe que efetuou a prisão, a casa tinha droga por todos os lados, até dentro de uma panela na cozinha e em um cesto de roupas sujas. Anotações sobre o tráfico de entorpecentes e balanças de precisão também acabaram apreendidas.

Questionado, Marcos confessou aos policiais que o veículo Fiat Uno, encontrado no local foi utilizado para carregar parte da maconha e haxixe apreendidos.

ÚLTIMOS DESPACHOS PROCESSUAIS

"Requisitem-se certidões de todos os processos que constarem contra os denunciados, BRUNO BENEDITO RODRIGUES NEVES, MAURÍCIO FERMINO DE SÁ, MARCOS ESTIGARRIBIA DA SILVA, WELLISSON DE SOUZA LIMA e ANA CLÁUDIA DOS SANTOS E SILVA, inclusive as mencionadas pelo Dr. Promotor de Justiça.O laudo de exame do local do crime encontra-se acostado às fls. 375/389, e o laudo toxicológico às fls. 367/372. Autorizo a incineração do tóxico apreendido, cuidando a autoridade policial de observar as diretrizes legais pertinentes.Oficie-se à Delegacia de Polícia de origem, requisitando-se a caixa das anotações apreendidas, enviando-se o original caso não houver necessidade de perícia, para posterior remessa para vista do Ministério Público. Requisite-se, também, exame nas duas balanças, nas formas requeridas pelo Ministério Público.Acolho, ainda, a manifestação do Ministério Público, e autorizo a quebra do sigilo de eventuais mensagens e todos os dados existentes nos nove aparelhos celulares apreendidos (fl. 36/37) que digam respeito a crimes, armazenados na memória ou em aplicativos como WhatsApp ou redes sociais que estejam conectadas com usuário e senha. Oficie-se à Delegacia de origem, para que providencie o exame nos celulares, com cópia da cota de fls. 351/352 .Notifiquem-se os denunciados para que, nos termos do artigo 55 da Lei Federal nº 11.343/06, apresentem defesas prévias, por escrito, no prazo de 10 (dez) dias. Os notificados serão consultados pelo Oficial de Justiça se pretendem constituir advogado para defendê-los no processo ou se, não dispondo de recursos, deseja que seja nomeada a Defensoria Pública para assisti-los.Acaso o(s) denunciado(s) já esteja(m) assistido(s) de Defensor constituído, seja(m) estes igualmente notificado(s) do prazo para resposta.De qualquer modo, decorrido o decêndio sem apresentação da resposta, dê-se vista dos autos à Defensoria Pública para que o faça.Em seguida, voltem-me conclusos os autos para decidir sobre o recebimento ou rejeição da denúncia.Fls. 353/356: anote-se.Ciência ao M.P.Marilia, 26 de março de 2018". 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

WHATSAPP DO JORNAL DO POVO PARA ENVIO DE SUGESTÕES, FOTOS OU VÍDEOS
99797-5612 
99797-3003
Siga "JP POVO"
  • Facebook Basic Black
  • Twitter Basic Black
  • Google+ Basic Black