Defensor público de Marília está entre os reféns na Penitenciária de Lucélia. Órgão não está funcionando, nesta sexta-feira

April 27, 2018

 

 A Defensoria Pública em Marília, que funciona na Avenida Sampaio Vidal, não está funcionando nesta sexta-feira (27). O motivo é que um dos defensores públicos que atuam na unidade, está entre os três defensores que foram feitos reféns desde a tarde desta quinta-feira (26), na Penitenciária de Lucélia. 

A matéria foi divulgada com exclusividade pelo JP. Atendendo solicitação da Defensoria Pública Geral, em São Paulo, o Jornal mantém sigilo sobre o nome do defensor público de Marília que está refém.

Um comunicado interno do órgão destinados a defensores e outros servidores. cita que “a Defensoria Pública-Geral está totalmente dedicada a essa questão, trabalhando pela segurança e integridade dos Defensores”. através de “contato diretamente como o Secretário de Estado de Administração Penitenciária, Lourival Gomes, outros integrantes do Governo, bem como com familiares dos Defensores”.

 

 O CASO

A rebelião na Penitenciária de Lucélia, que começou por volta das 14h20 de quinta-feira (26), segue sem previsão de término nesta sexta feira (27). Às 22h as negociações foram encerradas e, até as 7h30, foram retomadas. Toda a unidade foi tomada pelos detentos e três defensores públicos são mantidos como reféns no interior da unidade.
Conforme informações apuradas pela TV Fronteira, os presos solicitam que sejam religadas a energia e a água do local, bem como a presença de representantes dos Direitos Humanos e de pastorais religiosas.
Equipes do Batalhão de Polícia de Choque da Polícia Militar, do Corpo de Bombeiros, do Grupo de Intervenção Rápida (GIR) e da Secretaria da Administração Penitenciária do Estado de São Paulo (SAP) seguem de prontidão no local.
A rebelião de presos começou na tarde de quinta-feira. Três defensores públicos que realizavam uma visita de rotina ao local foram feitos reféns, o que foi confirmado ao G1 pela Defensoria Pública do Estado de São Paulo. Também foram observados focos de incêndio dentro da unidade. A Polícia Militar foi acionada e mandou equipes para o local. O Grupo de Intervenção Rápida (GIR), que é uma espécie de "tropa de elite" para atuação em situações críticas no sistema prisional paulista, também foi acionado para o atendimento da ocorrência e tentar controlar o motim.
Familiares de presos, que estão nas proximidades da unidade prisional, informaram que os rebelados reivindicam melhores condições para o cumprimento de suas penas na unidade.
De acordo com as informações da Secretaria da Administração Penitenciária do Estado de São Paulo (SAP), a Penitenciária de Lucélia possui capacidade para abrigar 1.440 presos, mas atualmente conta com uma população carcerária de 1.820 homens.
A unidade também dispõe de uma ala de progressão penitenciária, que tem capacidade para 110 presos e abriga atualmente 126.
SAP
Em nota, a Secretaria da Administração Penitenciária do Estado de São Paulo informou que nesta quinta-feira (26), por volta das 9h, cinco defensores públicos chegaram à Penitenciária de Lucélia para realizarem atendimento aos presos da unidade. A direção informou aos defensores que não seria apropriado entrar naquele momento pois os detentos estavam no horário do banho de sol, porém, os defensores insistiram em entrar, conforme a secretaria.
Por volta das 14h, ainda durante o banho de sol, os defensores entraram nos pavilhões três e quatro e, após 20 minutos, os presos do local fizeram três defensores reféns e começaram a quebrar as portas dos pavilhões a fim de liberar todos os detentos. A SAP ressaltou que quando foi iniciado o movimento subversivo todos os funcionários da unidade foram retirados do interior da carceragem.
A SAP salienta que o diretor da penitenciária e o coordenador de unidades prisionais da região estão efetuando as negociações com os presos.
“Esclarecemos que defensores públicos e juízes possuem acesso irrestrito às unidades e não podem ser impedidos de entrar em qualquer estabelecimento penal”, finaliza a nota.

 

 

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

WHATSAPP DO JORNAL DO POVO PARA ENVIO DE SUGESTÕES, FOTOS OU VÍDEOS
99797-5612 
99797-3003
Siga "JP POVO"
  • Facebook Basic Black
  • Twitter Basic Black
  • Google+ Basic Black