Eleições do Sindimmar. Urnas "somem" e vira caso de polícia

May 15, 2018

 

 Virou caso de polícia as eleições para diretoria do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Marília (Sindimmar). A Polícia Militar foi acionada na tarde desta terça-feira na garagem municipal por integrantes de chapa de oposição que alegam "sumiço" de urnas, 

Segundo o Boletim de Ocorrência, cinco homens adentraram a garagem municipal dizendo que iam votar. Pegaram a urna, colocaram em um Voyage, preto, com placas de Americana e foram embora. O mesmo ocorreu no Daem da Avenida Santo Antonio. O veículo seroa da Federação dos Sindicatos. Caso em andamento.

O ROLO

As eleições para escolha da diretoria do Sindimmar estão suspensas. A decisão foi manifestada pela entidade através da publicação de edital nesta terça-feira (15) quando se iniciaria o processo.

O imbróglio começou quando três das cinco chapas concorrentes ao pleito ingressaram na Justiça com pedido de destituição de parte da comissão formada pelo Sindicato para gerir o processo eleitoral. A comissão é formada por dez membros, sendo um representante de cada chapa e outros cinco de outros sindicatos.

"Montamos a comissão eleitoral de acordo com o estatuto do Sindicato. Não há nada ilegal. Tanto, que os representantes da cinco chapas e os outros cinco representantes neutros participaram das duas primeiras reuniões, que analisaram as documentações das chapas, normalmente", disse ao JP o presidente do Sindimmar, Mauro Cirino.

Ele afirmou que a entidade discorda de uma decisão da Justiça em Marília, que, atendendo a pedido das chapas dissidentes, determinou a dissolução da comissão eleitoral a partir do registro das chapas concorrentes ao pleito.

"Não existe no estatuto do Sindicato a figura dessa comissão "prévia", como criada na decisão judicial. A comissão formada deve gerir o processo do começo ao fim do pleito. Até porque, não seria racional os representantes de cada chapa analisarem as documentações deles próprios, bem como outras decisões durante o processo eleitoral. A comissão formada foi legítima, como em eleições passadas e de acordo com o estatuto do Sindicato", explicou Cirino.

PUBLICAÇÃO DE EDITAL SUSPENDE COLETA DE VOTOS

Após a decisão da Justiça em Marília, o departamento jurídico do Sindimmar recorreu ao Tribunal de Justiça. O recurso foi protocolado na sexta-feira (11) e é possível que ainda hoje (15) a 7ª Câmara Cível do TJ emita uma decisão, sobre manter a comissão eleitoral ou definir uma nova data para as eleições. "Vamos aguardar até a decisão do mérito", disse o presidente do Sindicato.

Diante do imbróglio jurídico, o Sindimmar publicou o edital hoje (15) comunicando aos associados a suspensão da coleta de votos por motivo de insegurança jurídica, até a decisão do mérito.

Apesar disso, integrantes de chapas dissidentes do processo eleitoral colocaram urnas em algumas repartições públicas municipais para coleta de votos.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

WHATSAPP DO JORNAL DO POVO PARA ENVIO DE SUGESTÕES, FOTOS OU VÍDEOS
99797-5612 
99797-3003
Siga "JP POVO"
  • Facebook Basic Black
  • Twitter Basic Black
  • Google+ Basic Black