Médico do H.C citado em B.O de recepcionista, envia nota ao JP e desabafa: "médico também é gente!"

July 24, 2018

 

Nesta segunda-feira (23), o JP publicou o o caso de um recepcionista de 57 anos, funcionário do Hospital das Clínicas, que prestou queixa contra um médico.

O homem relatou que na noite de domingo, por volta das 21h30, foi interpelado pelo médico, via ramal interno, "com muita rispidez", que ele (o recepcionista) não deveria deixar pacientes subirem para atendimento sem ficha e que, se o fato de repetisse, o médico iria prejudicá-lo no emprego. O recepcionista relatou ainda que diante da situação, ficou nervoso, sua pressão subiu e teve que ser medicado. 

MÉDICO DESABAFA E ESCLARECE O OCORRIDO

 

Em mensagem encaminhada ao JP, o médico comentou o caso: 

 

"Vamos a verdade do ocorrido.  O HC é um hospital terciário,  cujo atendimento deve ser referenciado do PA Sul e da UPA.  Em casos de emergência,  o atendimento é feito diretamente no H.C nos pacientes que chegam de SAMU, Resgate e ambulâncias.  Quando uma pessoa chega sem encaminhamento,  o médico da triagem avalia e se for emergência é atendido no hc.
No caso da reportagem de vocês,  chegou uma paciente passando muito mal,  com dores no peito,  falta de ar, e dor de cabeça,  como médico que estava na triagem,  atendi a paciente que acabara de chegar e estava deitada nas cadeiras da recepção.  Imediatamente pedi que fosse feita a ficha para ser atendida,  levei a paciente para sala de triagem e vi que estava com pressão 230 por 130.
Já passados 15 minutos do atendimento,  o recepcionista não havia incluído a paciente no sistema. 
O HC trabalha com prontuário eletrônico,  todas as medicações e exames só são liberados mediante prescrição no sistema. 
Sem a ficha ser aberta no sistema,  não tem como escrever o atendimento,  solicitar as medicações,  que excetuando algumas,   ficam na farmácia e daí liberadas assim que entregue a prescrição médica.  Não tem como pedir exames se o paciente não tem ficha aberta. 
Com já havia 15 minutos passados,  eu precisando medicar a paciente e pedir exame,  liguei no ramal onde o recepcionista gritou comigo,  dizendo que assim que desse faria a ficha,  e que estava ocupado com outra ficha.  
Disse a ele que a paciente estava grave,  e que se piorasse pela demora dele,  ele seria responsável,  e que não aceitava ele gritar comigo daquela forma. 
Levei a paciente para sala de emergência e fizemos o possível mesmo com a demora injustificável em ser abrir a ficha de um paciente grave.
Lendo os comentários da reportagem de vocês,  fica fácil entender porque os médicos mais experientes e capacitados cada vez menos trabalham em pronto socorro. 
Poucos respeitam o médico de pronto socorro. Se o recepcionista não faz o papel dele e prejudica o paciente e você briga pelo paciente,  a culpa é sua, médico! Se não tem leito porque o hospital está superlotado,  a culpa é do médico. Se não tem remédio,  gaze, curativos,  a culpa é do médico. 
Se você briga,  luta, se esforça para que a lei seja respeitado,  o paciente receba o que é de direito,  para que os que tentam ser espertos não prejudiquem os mais graves,  a culpa é do médico. 
E a população cada vez mais contra o médico!  Até que um dia,não haverá mais médicos, porque desistiram de lutar e sempre levar a culpa. 
Médico come,  vai ao banheiro,  fica cansado,  sente sono,  tem 2 ou mais empregos. Médico também é gente!

 

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

WHATSAPP DO JORNAL DO POVO PARA ENVIO DE SUGESTÕES, FOTOS OU VÍDEOS
99797-5612 
99797-3003
Siga "JP POVO"
  • Facebook Basic Black
  • Twitter Basic Black
  • Google+ Basic Black