RADAR: Vice Tato detona o governo Daniel Alonso. Mais rolos com as empresas de ônibus. Dívidas do prefeito. CPI da carne e os horrores da câmara fria. Medicamentos e ações judiciais

August 29, 2018

 

 

TATO CHUTA O BALDE E DETONA O GOVERNO DANIEL ALONSO

O vice-prefeito Antonio Ambrósio, o Tato, compareceu de surpresa e ao vivo na Rádio Clube de Marília, na manhã desta quarta-feira (29) e detonou o governo Daniel Alonso. Como diz no popular, jogou merda no ventilador. Na semana passada, ele teve um arranca rabo com um procurador da Prefeitura e sairam aos tapas dentro do gabinete do prefeito. O rolo foi com relação a loteamentos da cidade. Agora, o vice decidiu, como ele mesmo diz, "dar murros na mesa". O bicho tá pegando!!!!

 

MAIS ROLO COM AS EMPRESAS DE ÔNIBUS

A Prefeitura de Marília abriu Sindicância para apurar  denúncia formulada pela Empresa Circular de Marília Ltda., sobre suposta mensagem de Advogada, no qual traz minuta de um recurso que teria sido apresentado pela Prefeitura Municipal objetivando reverter decisão que impedia o início da execução dos serviços objeto das Concorrências Públicas ns. 022 e 023/2010. O recurso que teria sido assinado por Procurador Jurídico do Município foi elaborado por profissional vinculado a escritório de Advocacia que representava as empresas Cidade Sorriso e Grande Bauru, vencedora dos referidos procedimentos administrativos licitatórios e atuais concessionárias do serviço público de transporte coletivo de passageiros do Município de Marília.

"CONSIDERANDO que após compulsar os autos da Sindicância instaurada por meio da Portaria nº 32116, de 04 de agosto de 2016, constata-se que os fatos ora narrados não foram objeto de investigação; CONSIDERANDO o acima exposto, expede a seguinte Portaria: Fica determinada a instauração de SINDICÂNCIA, destinada a apurar os fatos acima mencionados". 

 

QUER O CPF NA NOTA???

Credores continuam no pé do prefeito Daniel Alonso. Depois de confiscarem imóveis, veículos e até parte dos salários dele, agora, o juiz da 2ª Vara Cível do Fórum de Marília determinou a Fazenda Pública para que informe sobre a existência de crédito vinculado ao programa Nota Fiscal Paulista, em nome do executado, procedendo-se ao bloqueio até o valor da dívida de R$ 5.520,59. EM TEMPO: só para lembrar: Daniel Alonso deve quase R$ 80 mil de IPTU.

 

CALOTE NO EX-SECRETÁRIO 

 

   POSSE: Zotti (à esquerda) na transmissão de cargo ao prefeito eleito, Daniel Alonso, em janeiro de 2017

 

O juiz da Vara da Fazenda Pública em Marília, Walmir  ex-secretária municipal de Planejamento Econômico, Rodrigo Zotti, Walmir Idalêncio dos Santos Cruz, concedeu mandado de segurança e determinou que a Prefeitura de Marília forneça a ele a devida resposta ao requerimento de pagamento de suas verbas rescisórias, bem como os documentos referentes ao seu cadastro funcional, em que consta a descrição pormenorizada de todos os créditos relativos a sua rescisão contratual e quantidade de horas extraordinárias.

 

TOFFOLI  NA FILA

No próximo dia 15 de setembro, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), mariliense Dias Toffoli, vai assumir a presidência da Corte. A partir de então, caso o presidente Michel Temer faça novas viagens ao exterior até o dia 7 de outubro, Toffoli poderá assumir interinamente a Presidência da República, uma vez que pelas regras eleitorais, os presidentes da Câmara e do Senado, que são candidatos, não podem assumir cargos no Executivo seis meses antes das eleições.  

 

MARÍLIA SEM DESFILE

O prefeito Daniel Alonso (PSDB), cancelou o tradicional desfile de 7 de Setembro. No ano passado, foi tomada a mesma decisão. A justificativa da Prefeitura, este ano, é "contenção de despesas". Como o evento tem um baixo custo, as hipóteses mais prováveis para o cancelamento são a falta de uniformes de inverno para as crianças das Emeis e Emefs (não entregues este ano) e os riscos de vaias do público ao prefeito e seus assessores. 

 

RELATÓRIO DA CPI DA CARNE...QUE NÃO TERMINOU EM CHURRASCO!

 

Conforme divulgado com exclusividade pelo JP,  no início do mês, o relatório da CPI da Carne Estragada foi apresentado e lido na sessão camarária desta semana. Sem a necessidade de votação para aprovação (por conta de regra nesse sentido aprovada este ano) do relatório, o mesmo será enviado diretamente para alguns órgãos públicos e ao Ministério Público Estadual. O texto responsabilizou pela perda de sete toneladas de carnes e prejuízos de cerca de R$ 160 mil aos cofres, o prefeito Daniel Alonso, o ex-secretário municipal da Educação, Beto Cavallari e o ex-diretora da Cozinha Piloto, Dolores Locatelli. A CPI aponta que todos cometeram improbidade administrativa. A Comissão, que atuou de fevereiro a agosto deste ano, foi composta pelos vereadores Luiz Nardi (Presidente), Danilo da Saúde (membro) e Maurício Roberto (relator). 

 

CÂMARA DOS HORRORES

E o relatório traz resultados de inspeção da Vigilância Sanitária na câmara fria (foto acima) onde eram armazenadas as carnes para a merenda escolar. Constataram que o compartimento foi adaptado para o congelamento das carnes, pois a câmara fria poderia ser utilizada apenas para o resfriamento. Havia sangue escorrido pelo compartimento e ambiente fétido. A câmara fria estava ainda com o dobro de capacidade de armazenamento. Além disso:

1 - Havia mofo nas partes externa e interna.

2 - Não havia páletes para o acondicionamento dos produtos.

3 - A porta estava com vedação danificada

4 - Havia ferrugem nas partes interna e externa da porta da câmara

 

MAIS UMA BAIXA NOS ESPORTES

A Prefeitura rescindiu convênio com  a Associação Cultural e Esportiva Nikkey de Marília, para concessão de subvenção mensal para desenvolvimento de Projeto Beisebol, Softbol e Judô Comunitário.

 

VOANDO, VOANDO...

Este mês, a prefeitura pagou mais valor R$ 7.695,40 para a Empresa VOAR TURISMO. Trata-se de despesas com viagens do alto escalão do Executivo, principalmente. Somente este ano, o prefeito Daniel Alonso recebeu cerca de R$ 35 mil em diárias de viagens. 

 

HÁ VAGAS

 

 

O candidato a deputado, dr. Nechar, colocou anúncio no propalado site OLX para contratar cabos eleitorais. Inclusive com pedido de envio de currículos, tipo, "já trabalhou em eleições passadas?".

 

NA BASE DAS FERRADAS JUDICIAIS

A Prefeitura abriu várias licitações destinadas à compras de medicamentos para "atender mandados judiciais", ou seja, quando a Justiça manda a Prefeitura fornecer os remédios para a população, sob pena de multas diárias. Fica a pergunta: se não fossem as ações judiciais, movidas pela população, a Prefeitura estaria comprando os medicamentos para atender os necessitados? 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

WHATSAPP DO JORNAL DO POVO PARA ENVIO DE SUGESTÕES, FOTOS OU VÍDEOS
99797-5612 
99797-3003
Siga "JP POVO"
  • Facebook Basic Black
  • Twitter Basic Black
  • Google+ Basic Black