TERROR: Ex-amásio mata mulher com 15 facadas, na região. "Não quero morrer, tenho dois filhos", gritava ela

 

     Rastro de sangue na casa onde mulher foi morta com 15 facadas pelo ex-amásio (Fotos: Repórter na Rua)

 

Um crime bárbaro chocou moradores do Jardim Santana 3 no começo da madrugada deste domingo (30) em Santa Cruz do Rio Pardo. A jovem Jéssika Cristina Britto, de 35 anos, foi morta com mais de 15 facadas no peito, costa e braço. Conforme acompanhou o REPÓRTER NA RUA, por volta das 00h20min a Polícia Militar foi acionada via 190 por uma solicitante que estava escutando a vizinha gritar pedindo socorro. "Ela gritava muito. Dizia que tinha dois filhos e não queria morrer. Foi terrível ouvir tudo aquilo", destacou em depoimento uma vizinha do local do crime. O assassinato aconteceu na Avenida Ester do Amaral Santana, no Jardim Santana 3. Após receber a solicitação de uma possível briga de casal, a PM foi imediatamente para o local através das equipes coordenadas pelo Sargento Andrade.

Quando eles chegaram no endereço indicado, chamaram no portão mas ninguém saiu. Eles acharam estranho um capacete caído na área da residência e uma faca suja de sangue jogada na rua. Os policiais então resolveram pular o muro e invadir o imóvel para verificar a situação. Lá dentro encontraram uma verdadeira cena de terror. A mulher estava caída com o rosto no chão e toda perfurada por golpes de faca. "A quantidade de sangue lá dentro e chocante. Até nós que estamos acostumados a lidar com isso, ficamos aterrorizados. Quem fez isso, com certeza quis massacrar a jovem", destacou um dos PMs que atendeu a ocorrência. A UTI Móvel do SAMU chegou a ser acionada, mas não havia mais nada a ser feito. Como ainda estava confuso, os policiais começaram a levantar informações com os vizinhos do imóvel. Minutos após chegou uma jovem dizendo que era a proprietária da residência e que estava em uma lanchonete no Jardim Planalto. "Um colega me ligou e disse que ele estava com a Jéssika e o ex-amásio dela teria invadido minha casa e matado ela.

Ele fugiu para não ser morto", contou a mulher. Ela fez contato com a suposta testemunha, um homem de 31 anos, morador na Vila Saul, que voltou ao local minutos após. Ao chegar, ele contou aos policiais que havia conhecido a jovem há uma semana e que naquela noite ela teria convidado ele para ir até lá tomar cerveja. "Nós estávamos na cozinha, quando escutamos uma moto parando próximo daqui e logo em seguida o ex dela chamou no portão. Ela recusou abrir o portão e então ele pulou o muro. Eu escutei eles começando a briga e então me escondi no banheiro. De lá escutei ela gritando muito e pedindo pelo amor de Deus para ele se acalmar. Foram vários barulhos de pancadas e ela aparentemente começou a agonizar", relatou a testemunha que não será identificada por questões de segurança. O homem ainda contou aos policiais que o assassino desconfiou que tinha alguém no banheiro e então começou a chutar a porta. "Quando ele estourou a porta, eu consegui segurar o braço dele e peguei a faca. Foi neste momento que sai correndo, joguei a faca para longe e fugi do local", confessou. Segundo a Polícia, tudo aconteceu em poucos minutos. "A vítima trocou mensagens pelo WhatsApp com uma amiga às 00h08min. Nós recebemos o chamado as 00h19min e em menos de 5 minutos chegamos aqui e ela já estava morta", destacou um policial.

Na avenida onde aconteceu o crime a Polícia localizou a motocicleta do principal suspeito, identificado pela testemunha como sendo Edson Beguetto (Tom Beguetto). "Provavelmente ele se apavorou e deixou a chave da moto dentro da casa. Com medo da viatura chegar, ele preferiu fugir a pé e abandonar a moto", disse um PM. Os patrulheiros chegaram a fazer buscas nas imediações do local, principalmente em residências em construção, mas o criminoso não foi localizado. A Polícia Civil e a Polícia Científica foram  acionadas para colher as provas do homicídio. O delegado Renato Caldeira Mardegan esteve no local e acompanhou o trabalho dos peritos. "Como o portão estava trancado, ele teve que pular para fugir. Tem marcas de sangue e digitais aqui. Vamos iniciar as investigações imediatamente e colocar o responsável na cadeia", afirmou o delegado responsável pela Polícia Civil de Santa Cruz do Rio Pardo. Ele ainda destacou o grau de violência em que a jovem foi morta. "São inúmeras perfurações causadas pela faca de açougueiro. Tem sangue nas paredes do imóvel, no quarto, na cozinha; isso indica que ela tentou se defender", destacou. Após o trabalho da Polícia, o corpo foi recolhido pela empresa Funerária Rainha da Paz e levado para o IML (Instituto Médico Legal) de Ourinhos, onde passou por exames necroscópico e em seguida foi liberado para o funeral. Jéssika Cristina Britto, 35 anos, tinha dois filhos e estava separada há pouco tempo. Ela estava morando de favor na residência onde aconteceu o crime. O assassino segue foragido.

 

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

WHATSAPP DO JORNAL DO POVO PARA ENVIO DE SUGESTÕES, FOTOS OU VÍDEOS
99797-5612 
99797-3003
Siga "JP POVO"
  • Facebook Basic Black
  • Twitter Basic Black
  • Google+ Basic Black