RADAR DO JP TRAZ OS BASTIDORES, ROLOS E ACONTECIMENTOS DOS MEIOS POLÍTICOS EM MARÍLIA

December 4, 2018

 

ESTÁ AÍ O ROLO DO LIXO!

O rolo do lixo é a bola da vez no inferno astral da gestão do prefeito Daniel Alonso (PSDB). Depois de muitas ameaças, a famigerada Monte Azul abandonou os serviços de vez e caiu fora da cidade. Levou até os caminhões! Deixou um rastro de suspeitas e cobrando dívidas de R$ 28 milhões da Prefeitura. A realidade é que a coisa tá feia e a Prefeitura certamente não dará conta de coletar o lixo em toda a cidade. Não tem estrutura física nem humana para isso. Possui nove caminhões de coleta, enquanto se precisa de pelo menos 20 para esse trabalho. EM TEMPO: o último rolo com paralisação da Monte Azul foi em dezembro de 2016, no finalzinho da gestão de Vinícius Camarinha.

 

VEREADORES MANTÉM O CHUMBO NO SECRETÁRIO

O secretário municipal de Meio Ambiente e Limpeza Pública, Vanderlei Dolce, esteve na Câmara nesta segunda-feira e revelou que a dívida com a Monte Azul é de R$ 28 milhões. Falou, falou, mas na prática a teoria é outra. Reclamou de ataques de vereadores pela ausência dele na semana passada, na Câmara. O vereador Zé Luiz, autor da convocação de Dolce para dar explicações no Legislativo. manteve o que disse na semana passada. "O secretário pisa na cabeça do povo". Até o vereador governista Cícero do Ceasa, que lamentou o "despeito do secretário", deu uma lambada após o discurso de Dolce. "Não tem que ficar chateado, não! Tem que trabalhar", berrou o vereador. 

 

SINDICÂNCIA SEPULTADA

A Corregedoria do Município publicou portaria sepultando de vez (arquivou) Sindicância o rolo da venda pela Codemar da cobertura que seria usada na nova rodoviária, na gestão do ex-prefeito Domingos Alcalde (89/92). O material, 77 mil quilos de telhas metálicas, foram vendidas como sucata por R$ 29 mil. A decisão de arquivar a Sindicância deveu-se à morte de um ex-diretor da Codemar, que vendeu o material. EM TEMPO: na esfera judicial, o ex-prefeito Alcalde continua com bens bloqueados na ordem de cerca de R$ 12 milhões, para repor os prejuízos aos cofres públicos, já que a cobertura foi comprada e aquela que seria a nova rodoviária nem saiu do papel. 

 

AUMENTANDO O ROMBO DO IPREMM

A dívida patronal (Prefeitura) com o Ipremm subiu de cerca de R$ 2 milhões no final do ano passado para cerca de R$ 10,2 milhões, atuais. "Pode vender a alma que não vai cobrir isso", comentou o vereador Luiz Nardi (PR), na sessão desta segunda-feira, referindo a decisão do prefeito Daniel Alonso (PSDB) de vender áreas públicas para tentar cobrir o rombo do Ipremm, estimado em cerca de R$ 200 milhões. EM TEMPO e olha que a tal CPI do Ipremm (que não virou nada!) instalada no ano passado e concluída este, apontou que o rombo do Instituo foi causado justamente por calotes e falta de aportes de gestões passadas. 

 

MAIS GASTOS COM BLÁ-BLÁ-BLÁ

 

Além dos gastos de cerca de R$ 200 mil por mês com a TV Câmara, o presidente da Casa, Wilson Damasceno (PSDB), prepara a contratação de emissora de rádio para transmitir as sessões da Câmara. O Legislativo deverá torrar mais de R$ 80 mil com isso. 

 

VEREADORA NO BURACO

A vereadora Daniela D'Ávila (PR) disse que, "depois de muita insistência", conseguiu levar o prefeito Daniel Alonso para "vistoriar" uma rua no extremo da Zona Sul. "Mas a rua estava em estado tão lastimável, que ele não conseguiu descer por ela", contou. A vereadora recentemente postou fotos de danos que sofreu em seu veículo, ao cair em um buraco na Zona Sul. Na sessão desta segunda-feira (3), disse que aconteceu a mesma coisa na Zona Norte. 

 

O INOPERANTE CASSINHO E O PLANO DE CARREIRA

Nesta segunda-feira, o ex-secretário de Trabalho e Turismo, inoperante Cássio Pinto, o Cassinho, assumiu a secretaria municipal da Administração. Se já foi um zero à esquerda na Pasta anterior imagine nessa, que é responsável pela elaboração e implantação do polêmico e complicado Plano de Carreira dos Servidores Municipais. A categoria, agora, se lascou de vez! EM TEMPO: Cassinho também foi um fiasco na tal secretaria do Trabalho, na gestão passada, de Vinícius Camarinha. Um dos motivos que o manteve pendurado no cargo, na atual gestão, foi pela influencia da maçonaria. 

 

SEGUE SEM NINGUÉM

 

O ex-líder Rezende com o quase ex-deputado Walter Ihoshi (que ele já lançou como pré-candidato à sucessão de Daniel Alonso, em 2020) e Nelson Mora

 

A secretaria municipal do Trabalho e Turismo é tão ineficiente, que o Cassinho caiu fora de lá  e mesma segue sem ninguém no comando. A Prefeitura divulgou Nota nesta segunda-feira (3) anunciando que o nome do novo titular da tal Pasta será anunciado em breve. EM TEMPO: o então líder do prefeito na Câmara, Marcos Rezende, indicou o nome do coordenador da Pasta, Nelson Mora, para assumir a mesma. O gabinete, a princípio, rejeitou e Rezende, revoltado, acabou abandonando a liderança do prefeito Daniel Alonso na Câmara. O último negócio de Mora, como empresário, foi com revenda de bananas, na década de 90. 

 

SEMÁFOROS E FALTA DE INFORMAÇÕES

O JP questionou o presidente da Emdurb, Valdeci Fogaça, sobre os gastos com instalações de vários novos semáforos aqui na cidade, inclusive em rotatórias! Perguntou sobre custo total, sistema de licitação e relatórios técnicos do Detran, por exemplo, sobre a necessidade desses novos equipamentos nos locais onde estão sendo instalados. Fogaça pediu que as informações fossem solicitadas à Assessoria de Imprensa da Prefeitura, apesar dele próprio ser a pessoa mais indicada para responder tais questões. O JP encaminhou as demandas para a Assessoria de Imprensa, que não respondeu. Medo que será, heim?!!!! EM TEMPO: Os gastos com novo semáforos são de cerca de R$ 600 mil. 

 

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

WHATSAPP DO JORNAL DO POVO PARA ENVIO DE SUGESTÕES, FOTOS OU VÍDEOS
99797-5612 
99797-3003
Siga "JP POVO"
  • Facebook Basic Black
  • Twitter Basic Black
  • Google+ Basic Black