Após aumentos absurdos de tarifas de ônibus, prefeito Daniel Alonso quer encarecer Uber com cobranças de taxas. "Ninguém suporta mais isso", diz o vereador Nardi

July 8, 2019

Consolidando a prática de abusivos aumentos de tarifas e custos para o setor de transporte coletivo em Marília, o prefeito Daniel Alonso (PSDB) enviou um Projeto de Lei que deverá ser votado na tarde desta segunda-feira (8) pelos vereadores, o qual prevê a cobrança Taxa de Licença Para Localização e Fiscalização para Funcionamento de Estabelecimentos de Produção, Comércio, Indústria e Prestação de Serviços ou Renovação.para motoristas de aplicativos. A Lei que regulamentou esta atividade na cidade foi aprovada em outubro de 2018.

Com a decisão do prefeito e a nova cobrança da categoria, os motoristas de aplicativos terão aumentos de gastos, que deverão ser repassado para as tarifas. Isso vai encarecer esse modelo de transporte coletivo e popular que vem sendo muito usado pela população.

Com esta medida, Daniel Alonso segue castigando a a população com aumentos de tarifas de transporte coletivo em Marília. Somente este ano, ele já aumentou as tarifas de ônibus urbanos (Sorriso e Grande Marília) em quase R$ 1 num paulada só. A punhalada no povo virou ações que tramitam na Justiça, pedindo a anulação do absurdo aumento.

Daniel Alonso também aumentou em R$1,50 as tarifas de ônibus que fazem o transporte nos Distritos de Avencas e Rosália, assolando trabalhadores e  estudantes, principalmente.

VEREADOR CONTRA NOVOS IMPOSTOS

O vereador Luiz Eduardo Nardi, presidente da Comissão de Justiça e redação da Câmara de Marília, disse ao JP que é contra a criação de mais impostos e taxas em Marília. 

"Ninguém suporta mais aumentos de impostos. O IPTU já subiu mais 10% este ano, as tarifas de ônibus aumentaram quase 30% e agora vem esse projeto de criação de impostos para os motoristas de aplicativos, que vai recair nos bolsos da população que usa esse transporte. O ideal e justo, ao meu ver, é a Prefeitura isentar os taxistas da cobrança do ISS e não criar esse tipo de "isonomia de impostos e taxas", disse Nardi.

Ele lembrou que na gestão passada a alíquota do ISS foi reduzida de 5% para 2% para as empresas de ônibus urbanos. "O momento da economia é delicado, a crise está aí e a população, os assalariados, empresários e prestadores de serviços já sufocados pela alta carga tributária. Ninguém suporta mais criação ou aumento de impostos em nenhum setor", afirmou o vereador. 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

WHATSAPP DO JORNAL DO POVO PARA ENVIO DE SUGESTÕES, FOTOS OU VÍDEOS
99797-5612 
99797-3003
Siga "JP POVO"
  • Facebook Basic Black
  • Twitter Basic Black
  • Google+ Basic Black