Klaus Bernardino, dono do site "Visão Notícias", é réu em processos criminal e cível acusado de fraude em licitação, improbidade administrativa e danos aos cofres públicos

August 29, 2019

 Klaus Bernardino, dono do site "Visão Notícias": réu em Processos Criminal e Cível

sob acusações de fraude em licitação, improbidade administrativa e danos aos cofres públicos 

 

O jornalista Klaus Bernardino, editor e dono do site "Visão Notícias", de Marília (que recebe altas verbas da Prefeitura) é réu em dois processos, um cível e outro criminal, sob acusações de Crimes da Lei de Licitações, Improbidade Administrativa e Danos ao Erário.

Um inquérito policial, aberto por determinação do Ministério Público Estadual,investigou o caso e deu origem à Ação e denúncias contra Klaus Bernardino. Também são réus nas ações o ex-prefeito Mário Bulgareli (enrolado e condenado em vários outros processos) e Nelson Grancieri, o Nelsinho, ex-chefe de gabinete de Bulgareli e também na mesma situação judicial.

Conforme os autos, na referida gestão, os réus movimentaram cerca de R$ 2,2 milhões (valores em torno de R$ 4 milhões atualizados) sob suspeitas de práticas de Improbidade Administrativa. O processo tramita pela 3* Vara Criminal do Fórum de Marília. 

Klaus atuava em cargo comissionado (sem concurso público) como Diretor de Imprensa na Prefeitura. No mesmo cargo, além das suspeitas levantadas pelo Ministério Público, chegou ao absurdo de publicar anúncios oficiais num informativo de uma igreja onde era membro e editor da publicação. 

RÉUS EM AÇÃO DE IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA

Paralelamente ao Processo Criminal, tramita na Vara da Fazenda Pública de Marília, uma Ação de Improbidade Administrativa e Danos ao Erário (cofres públicos), com os mesmos réus. A ação foi iniciada em 2017 e os danos são de R$ 2.200.434,74 (valores não atualizados).

"Trata-se de Ação Civil de Improbidade Administrativa proposta em face de Mário Bulgareli, Nelson Virgílio Grancieri e Klaus Augusto Bernardino, pleiteando, em suma, o reconhecimento do ato de improbidade administrativa que frustrou a licitude de processo licitatório ou dispensou-o indevidamente", citam os autos. 

Na última movimentação, o juiz Walmir Idalêncio dos Santos Cruz despachou: "Por ora, expeça-se ofício às operadoras de telefonia celular VIVO, Claro, OI e TIM solicitando-se o registro de eventuais linhas telefônicas em nome de Nélson Virgílio Grancieri e o endereço cadastrado, nos termos em que requerido pelo Ministério Público. No mais, certifique a serventia eventual decurso de prazo para apresentação de defesa prévia pelo requerido Klaus Augusto Bernardino. Intime-se".

Caso sejam condenados, os réus terão que devolver os valores de cerca de R$ 4 milhões aos cofres públicos, além de multas, cassação dos direitos políticos e proibição de contratar com o Poder Público. 

Bulgareli não atendeu as ligações do JP. Nelsinho não foi localizado e Klaus Bernardino visualizou as mensagens no Whatsapp e apenas sinalizou com um sinal de "positivo".

 

 

 

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

WHATSAPP DO JORNAL DO POVO PARA ENVIO DE SUGESTÕES, FOTOS OU VÍDEOS
99797-5612 
99797-3003
Siga "JP POVO"
  • Facebook Basic Black
  • Twitter Basic Black
  • Google+ Basic Black