CALOTES: Coletores de lixo já estão em greve em Marília, nesta quinta-feira. Empresa aguarda pagamento da Prefeitura

September 9, 2019

Mais um grande transtorno para a população! Os coletores de lixo da empresa MB Limpeza Urbana, que fazem o trabalho em Marília, decidiram paralisar as atividades nesta quinta-feira (12). O motivo é atraso de pagamento à empresa por parte da gestão Daniel Alonso (PSDB). Com isso, a MB ainda não pagou os trabalhadores. O pagamento  pela Prefeitura devera ter ocorrido no dia 20 do mês passado.

Esta semana, os trabalhadores se reuniram com o Sindicato da categoria e decidiram dar prazo até ontem (11) para a Prefeitura fazer o pagamento. Como isso não ocorreu, a greve foi a consequência. 

A MB Limpeza tem uma nota fiscal de R$ 200 mil (vencida a quase um mês) com pagamento atrasado. Neste caso, a Prefeitura pagou apenas R$ 50 mil. Outra nota fiscal de R$ 236 mil vencerá no próximo dia 20. 

Os funcionários da MB Limpeza Urbana tiveram salários atrasados nos últimos três meses (prazo que a empresa está atuando na cidade). Eles deveriam ter recebido no 5° dia útil (sexta-feira), mas como os atrasos ocorrem por meses consecutivo, eles decidiram  paralisar os trabalhos. "A Prefeitura, infelizmente, não fez o pagamento e nem deu nenhum sinal para nós, ontem. Como a revindicação dos trabalhadores é o pagamento, eles estão parados", disse ao JP o gerente da empresa Marília, Jefferson Gomes. 

"Se a Prefeitura estivesse cumprindo o contrato de forma correta, não haveria atrasos de pagamentos dos nossos funcionários. Mantivemos contato com a secretaria municipal da Fazenda nesta segunda-feira e a informação é que não há prazo para o pagamento relativo ao mês passado", afirmou o gerente. O último da Prefeitura à empresa deveria ter sido efetuado até o dia 20 de agosto passado, conforme prevê o contrato. A empresa começou a operar em Marília em junho passado. 

A MB tem sede em Parnamirim (Rio Grande do Norte), distante 3.079 quilômetros de Marília. São 36 funcionários que trabalham em Marília, sendo a maioria na coleta de lixo.

Não é a primeira vez que a gestão Daniel Alonso (PSDB) cria problemas com calotes à empresas de coleta de lixo. A empresa Monte Azul, por exemplo, deixou a cidade alegando esse problema, entrou com ação judicial e deve receber mais de R$ 2,6 milhões, conforme decisão do juiz da Vara da Fazenda Pública de Marília, Walmir Idalêncio dos Santos Cruz, publicada na semana passada. A Prefeitura de Marília ainda não se pronunciou sobre o assunto.

 

 Prefeito Daniel Alonso atrasa pagamentos de empresa e aterroriza funcionários

da coleta de lixo 

 

 

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

WHATSAPP DO JORNAL DO POVO PARA ENVIO DE SUGESTÕES, FOTOS OU VÍDEOS
99797-5612 
99797-3003
Siga "JP POVO"
  • Facebook Basic Black
  • Twitter Basic Black
  • Google+ Basic Black