BADERNA NA EDUCAÇÃO: Transferências obrigatórias de crianças de Creches para Emeis cria riscos e revolta pais

October 4, 2019

 

                 Prefeito Daniel Alonso e o secretário municipal da Educação, Helter Bochi

 

O prefeito Daniel Alonso (PSDB) mudou regras de atendimento de crianças nas creches e revoltou pais de alunos. A partir deste ano, crianças a partir de 1,5 ano estão obrigatoriamente sendo transferidas das creches para as Emeis e ficarão misturadas com crianças até cinco anos de idade.

Antes desta nociva mudança, as crianças ficavam nas creches até 3 anos de idade (em três níveis). Pais de alunos prejudicados com a mudança, cansados de procurar a Prefeitura, vereadores e a secretaria municipal da Educação para tentar reverter a situação e não ser atendidos, estão criando grupos em Whatsapp e redes sociais para protestar e fomentar o movimento.

"Não é racional deixar crianças de 1,5 ano, que precisam receber comida na boca e outros cuidados, com outras crianças até cinco anos. Nas creches, por exemplo, há profissionais especializados no atendimento de crianças até 3 anos, mas nas Emeis, não. As Emeis não têm estrutura para isso, uma baderna e riscos para as crianças até 3 anos são grandes", disse Rafael Camargo, pai de uma menina de 1,4 ano que estava matriculada na Emei-Creche Curumim e agora foi obrigado a matricular a criança na Emei Leda Casadei, na Zona Norte. 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

WHATSAPP DO JORNAL DO POVO PARA ENVIO DE SUGESTÕES, FOTOS OU VÍDEOS
99797-5612 
99797-3003
Siga "JP POVO"
  • Facebook Basic Black
  • Twitter Basic Black
  • Google+ Basic Black