Assassino da professora Elisabete é condenado por violência doméstica em outro processo. Ele aguarda Júri Popular

October 15, 2019

 

Enquanto aguarda a realização de Júri Popular pelo assassinato da professora Elisabete Aparecida Ribeiro, 37 anos, o mototaxista Jefferson Carlos da Silva, foi condenado pelo juiz titular da 3ª  Vara Criminal do Fórum de Marília, Décio Divanir Mazeto, a quatro anos de prisão por violência doméstica. 

Os crimes são de sequestro e cárcere privado, lesão corporal e ameaça contra uma mulher, a qual não teve a identidade revelada porque o processo tramita em segredo de Justiça.

“(…) julgo procedente a ação penal para condenar Jefferson Carlos da Silva, qualificado nos autos, a descontar em regime inicialmente fechado, a pena de dois anos de reclusão, declarando-o incurso no artigo 148, § 1º, I, e a pena de dois anos de detenção, em regime inicial semiaberto, por infração ao artigo 129, § 1º, I, e três meses de detenção, em regime também intermediário, como incurso no artigo 147, todos cc. o artigo 69, todos do Código Penal”, decidiu o magistrado.

CASO DA PROFESSORA ELISABETE

Jefferson assassinou a professora a facadas no apartamento de um condomínio na Zona Norte de Marília, no início de janeiro do ano passado. Dois meses depois ele acabou preso por policiais da DIG (Delegacia de Investigações) em Praia Grande, no litoral paulista. Caso condenado por este crime, ele poderá pegar mais de 30 anos de cadeia. 

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

WHATSAPP DO JORNAL DO POVO PARA ENVIO DE SUGESTÕES, FOTOS OU VÍDEOS
99797-5612 
99797-3003
Siga "JP POVO"
  • Facebook Basic Black
  • Twitter Basic Black
  • Google+ Basic Black