Vândalos destroem trabalho voluntário de recuperação do poliesportivo Tatá, na Zona Sul, fazem desafios e ameaças

January 31, 2020

 

 

 Espaço do poliesportivo que foi revitalizado e pintado por trabalho voluntário amanheceu todo pichado por vândalos

 

Conforme divulgado pelo JP, no mês passado o bombeiro Ezequiel Pereira, que iniciou um trabalho voluntário em parceria com a secretaria municipal de Esportes para ajudar na limpeza e revitalização do Poliesportivo Tatá, no Bairro Nova Marília, Zona Sul da cidade.

Foram dias e dias de muito trabalho voluntário, esforço, busca de parcerias para revitalizar um local até então tomado pelo matagal, lixo, sujeira, depredações e estrutura quebrada e danificado por desocupados e usuários de drogas que dominavam o espaço público.

Ezequiel conseguiu doações de materiais de construção, ajuda de outros voluntários e recuperou bem o local. Inclusive com nova pintura!

 Mas, esse valoroso trabalho incomodou o "público" que deitava e rolava no local. Além de ameaças, até de morte, Ezequiel teve uma triste surpresa nesse feriadão de carnaval.

Os vândalos picharam praticamente toda a pintura novo do lcoal, com frases ameaçadoras e desafios como "você pinta e eu pixo. Vamos ver quem tem mais tinta!!!". 

Ezequiel disse ao JP que não vai parar com o trabalho. "Nosso objetivo é a comunidade. Tem inclusive uma escola perto do local, que necessita ser cuidado, é um patrimônio da comunidade da Zona Sul, principalmente", disse.

A falta de policiamento pelo local estimula a ação de vândalos e delinquentes.  

 

TRABALHO DIFÍCIL 

Quando começou os trabalhos, Ezequiel disse: "Comecei hoje fazendo a limpeza do local, que está muito sujo, com lixo, detritos e materiais que criam riscos para Dengue. Na medida do possível, com eventuais colaborações de materiais e mão-de-obra na área da construção civil, como serralheria e instalações elétricas, pretendo deixar o poliesportivo em condições de utilização pela comunidade, resgatando uma tradição de décadas, que é o Tatá"  "O trabalho não é fácil, mas conforme formos recebendo apoio e doações da comunidade, vamos trabalhando para alcançar os objetivos", afirmou ao JP.

RELATO NAS REDES SOCIAIS

"Durante anos convivi e joguei futebol nesse lugar.
Pra gente que foi e é da periferia era nosso lazer...
Todo o final de semana lotado de gente para ver um futebol
Sem falar nas escolinhas de futebol cheia de crianças e jovens.
Com misto de tristeza e empolgação assumo a responsabilidade junto com meu pai de aos poucos deixar esse lugar melhor para um futebol e até outros eventos na zona sul.

Então a todos meus amigos que puderem me ajudar com materiais de todo tipo ou serviços eu e meu pai estaremos por lá quase todos os dias.
Não aceito dinheiro !!!👊🏾🙏🏽
Valeu galera !!!
Acreditem, dá pra recuperar sem politicalha!".

Ezequiel contou com a ajuda de seu pai, o pedreiro conhecido como Mirão. "Estamos precisando de mão-de-obra de serralheiro para repor algumas portas danificadas por usuários de drogas, delinquentes e moradores de rua que invadiram o espaço do poliesportivo", explicou. 

O cenário no local é de muito lixo, sujeira, campo com mato alto, vestiários e outros locais com portas e janelas quebradas. Até a pista de skate construída no Poliesportivo está danificada pelos "frequentadores" do local.

SEM VÍNCULOS POLÍTICOS

Ezequiel disse que sua iniciativa não tem e não terá vínculos políticos ou partidários com ninguém. "Nasci nesta região, minha família é daqui, joguei bola neste local e senti o desejo de ajudar na recuperação e preservação desse importante  patrimônio público", afirmou. 

Ele disse que manteve contatos com o secretário municipal de Esportes e Lazer, Eduardo Nascimento. "Ele se colocou a disposição para colaborar também com essa iniciativa. Já mandou caçamba, cadeados e alguns materiais para ajudar nos trabalhos. "O secretário disse que dentro de sessenta dias devem ser trocadas algumas portas e feitos outros serviços de estrutura. Com o apoio da comunidade, tenho certeza que vamos conseguir revitalizar op poliesportivo", disse Ezequiel. 

Quem quiser colaborar de alguma forma com este trabalho voluntário em benefício da comunidade, doando materiais ou mão-de-obra (não aceita dinheiro), pode entrar em contato com o Ezequiel pelo telefone (whatsapp) 14 - 99851-3029

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

WHATSAPP DO JORNAL DO POVO PARA ENVIO DE SUGESTÕES, FOTOS OU VÍDEOS
99797-5612 
99797-3003
Siga "JP POVO"
  • Facebook Basic Black
  • Twitter Basic Black
  • Google+ Basic Black