Buscar
  • J. POVO- MARÍLIA

Bolsonaro demite o delegado-geral da PF, mariliense Paulo Maiurino


O diretor-geral da Polícia Federal, mariliense Paulo Maiurino, foi demitido nesta sexta-feira (25) pelo presidente Jair Bolsonaro. No lugar dele assume o delegado Márcio Nunes de Oliveira assumirá. Maiurino havia sido nomeado em abril do ano passado.

A Polícia Federalé vinculada ao Ministério da Justiça e, segundo o ministro da pasta, Anderson Torres, Paulo Maiurino passará a comandar a Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas. "Hoje convidei o DG da @policiafederal, Dr Paulo Maiurino, para assumir a relevante função de secretário da SENAD no @justicagovbr. Em seu lugar, na PF, assume o Dr Márcio Nunes que, como secretário-executivo do @JusticaGovBR, nos deixa um grande legado", publicou Torres em uma rede social. Quem é o novo diretor-geral da PF O novo diretor-geral da PF atuava como secretário-executivo do Ministério da Justiça, número 2 na hierarquia da pasta. Policial federal, Márcio Nunes de Oliveira foi professor na Academia Nacional de Polícia e superintendente regional da PF no Distrito Federal de 2018 a 2021. Entre outros cargos, Márcio Nunes de Oliveira também foi chefe do Serviço de Análise de Dados de Inteligência Policial da Divisão de Repressão a Crimes contra o Patrimônio e ao Tráfico de Armas e chefe da Divisão de Operações de Repressão a Entorpecentes da PF. Trocas no comando da PF Quando anunciou a saída do governo, em abril de 2020, o então ministro da Justiça, Sergio Moro, disse que o presidente Jair Bolsonaro o havia pressionado a trocar o comando da Polícia Federal. Na ocasião, quem ocupava o posto era Maurício Valeixo, ex-superintendente da PF no Paraná. Bolsonaro exonerou Valeixo em 24 de abril de 2020 e, no mesmo dia, Moro pediu demissão do Ministério da Justiça. O presidente nomeou para o cargo de diretor-geral da PF Alexandre Ramagem, diretor da Agência Brasileira de Inteligência (Abin). Ramagem é amigo da família Bolsonaro e teve a nomeação suspensa por decisão do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, que na ocasião atendeu a um pedido do PDT. O governo, então, nomeou Rolando Alexandre de Souza para a função em maio de 2020. Rolando de Souza era subordinado a Ramagem na Abin e permaneceu no cargo até abril de 2021, quando Paulo Maiurino assumiu a função, indicado pelo ministro Anderson Torres.





176 visualizações0 comentário