Buscar
  • J. POVO- MARÍLIA

CPI DA COVID: Dr. Alysson notifica Ajeka, cobra explicações e sugere renúncia dele no comando


Surgiu um novo capítulo no embate entre o Assessor Especial de Governo, dr. Alysson Alex de Souza e Silva e o presidente da CPI da Covid na Câmara de Marília, vereador Élio Ajeka (PP).

Alysson encaminhou uma notificação extrajudicial (veja íntegra abaixo) na tarde de hoje ao vereador, onde aponta censura à sua atuação durante os trabalhos da CPI na manhã desta sexta-feira, onde foi ouvido o prefeito Daniel Alonso (PSDB).

Alysson também cita "falsas acusações inclusive de agressão física" por parte de Ajeka e "solicita esclarecimento acerca da informação do Secretario de Saúde que o assessor do notificado teria feito lobby junto a Secretaria de Saúde para aquisição de insumos".

O Assessor Especial cita que "considerando que ao ser confirmado em depoimento deverá o vereador ora notificado pedir renuncia do cargo de Presidente da CPI ou solicitar a exoneração de seu assessor" e pede "lisura na condução da CPI".

Conforme já publicado pelo JP, durante os trabalhos da CPI Alysson e Aleja protagonizaram um embate.

Ajeka e Alysson na CPI da Covid, hoje: embates


NOTIFICAÇÃO EXTRAJUDICIAL

Considerando que o notificante é além de assessor, advogado regularmente inscrito no quadro da Ordem dos Advogados do Brasil;

Considerando que a Lei 8.906/94 e a Constituição da República respalda as prerrogativas dos advogados;

Considerando que o ora notificado censurou as palavras deste notificante publicamente na sessão da CPI nesta manhã;

Considerando as palavras e falsas acusações inclusive de agressão física proferidas pelo notificante;

Considerando que o notificante é cidadão mariliense e solicita esclarecimento acerca da informação do Secretario de Saúde que o assessor do notificado teria feito lobby junto a Secretaria de Saúde para aquisição de insumos;

Considerando a necessidade de esclarecimentos, convocação do Secretario de Saúde junto CPI para que confirme os fatos ditos nesta manhã;

Considerando que ao ser confirmado em depoimento deverá o vereador ora notificado pedir renuncia do cargo de Presidente da CPI ou solicitar a exoneração de seu assessor;

Considerando que o notificado determinou a extração de fatos reais que que ocorreram e foram ditos na reunião da CPI nesta manhã da ata, cuja ata, nada mais é que o retrato fiel do ocorrido;

Considerando a abertura de perguntas sem previsão regimental;

Notifico, Vossa Excelência, para que se retrate das acusações. E preste os devidos esclarecimentos contidos nas considerações acima, bem como adote as devidas providências para total lisura na condução da CPI, sob pena de medidas judiciais cabíveis.


Marília, 21 de maio de 2021.

Alysson Alex Souza e Silva

290 visualizações0 comentário